EDUCAFRO-concurso-juiz-bolsa-integral

A Educafro Brasil parabeniza a Câmara Municipal de Curitiba

A Educafro Brasil parabeniza a Câmara Municipal de Curitiba

A Educafro Brasil quer parabenizar a Câmara Municipal de Curitiba, vão votar hoje um projeto importantíssimo que s se refere ao trabalho de equidade da população negra em concursos públicos. Estão em sintonia com a Convenção Interamericana de combate ao Racismo e a Intolerância, no artigo 5 e 6 deste trabalho que define a obrigatoriedade da ação afirmativa para combater a exclusão do povo negro em concursos. Parabéns, estamos juntos com vocês. Educafro Brasil!
E-mail para contato: freidavid@franciscanos.org.br

 


Frei David participou do Tribunal do Genocídio da PUC-SP no qual o presidente Jair Bolsonaro foi condenado a 78 anos em julgamento simbólico

Frei David participou do Tribunal do Genocídio da PUC-SP no qual o presidente Jair Bolsonaro foi condenado a 78 anos em julgamento simbólico

 

Trecho da fala de Frei David durante o julgamento simbólico no Tribunal do Genocídio da PUC-SP:
“Seria possível evitar 400 mil mortes. Bolsonaro é culpado quantas pesquisas mostram e provam que a grande maioria dos mortos na pandemia eram afro-brasileiros. Bolsonaro é culpado. Por causa da pandemia mais de 30 % dos cotistas das universidades federais foram obrigados a abandonar suas vagas. Isso eu não aceito, quem vai pagar por isso. Que seja condenado sim, o presidente da República e do salário dele seja tirado a pensão de um salário mínimo das vítimas da Covid até completarem 21 anos. É chamado de racismo estrutural, um genocídio. Foi desmontado em 100% o plano nacional de defesa da saúde da população negra. Os afro-brasileiros da EDUCAFRO Mais de 80% perderam suas vagas nas universidades particulares por causa do desemprego nesse governo. E quem vai pagar por isso, tem culpado e não podemos ser omissos”.
Frei David

 

Links:
https://www.youtube.com/watch?v=Da66VRcQleg
https://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/tribunal-genocidio-puc-bolsonaro/


A história afirmativa das cotas 20 anos depois

A história afirmativa das cotas 20 anos depois

 

Por Frei David Santos e Renato Ferreira*

No ano de 2001 vivíamos o limiar de transformações sociais importantes por conta da entrada em vigor de uma lei que instituiu o sistema de cotas raciais nas universidades estaduais do Rio de Janeiro. Há, nesta história, muitos significados, mas destacamos alguns. Com as cotas, pela primeira vez estudantes negros ingressariam de forma significativa no ensino superior, mormente em cursos mais elitistas como Direito, Medicina, Engenharia, etc. Além de tornarem mais democrático o acesso às instituições, as cotas também começariam a trazer um novo desafio para as políticas públicas brasileiras.

Foto: Joshua Mcknight

A construção de políticas públicas antirracistas no Brasil se insere num contexto de lutas que paulatinamente fazem com que as desigualdades raciais se tornem um desafio para o Estado Brasileiro. Neste contexto, nas últimas décadas, leis foram produzidas, políticas de promoção da igualdade foram criadas e o Supremo Tribunal Federal legitimou esse processo garantindo a constitucionalidade das políticas de cotas. Mas vinte anos depois de todas aquelas tensões que embalaram o início deste período de inclusão racial nas universidades do Rio de Janeiro, o que nos cabe dizer?

Ganhamos todos! É num contexto de avanços democráticos antirracistas que devemos assentar os desdobramentos trazidos pelas políticas de cotas. Os opositores, de um modo geral, foram silenciados pelo próprio caráter de inclusão, redistributivo e democrático que estas políticas trouxeram.

Há problemas? Sim. Fraudes, falta de recursos, um monitoramento mais preciso dos impactos das políticas por todo país, além de uma articulação entre as instituições e as empresas para se otimizar a promoção de talentos ávidos por mais oportunidades. Como em toda política contra hegemônica que para se consolidar está sujeita aos mais variados tipos de desafios institucionais, o sistema de cotas precisa e pode ser sempre aprimorado.

Os dados que chegam demonstram avanços significativos no que tange ao aumento de afrobrasileiros nas universidades. As pesquisas apontam que a população negra, de um modo geral, goza de melhores índices educacionais, mas ainda se mantém atrás das pessoas brancas. Neste sentido, a experiencia bem sucedida das cotas revelou a necessidade de construir um sistema de ações afirmativas que contemple um feixe de medidas que vão desde estimular estudantes pobres e negros a ingressarem na graduação, até a pós-graduação e inclusão no mercado de trabalho. Mas quem frequentou as universidades antes das ações afirmativas e volta por lá hoje, se surpreende com o alunado que anda pelo campus. O corpo discente está cada vez mais em sintonia com a diversidade que encontramos na sociedade brasileira.

Podemos dizer que as políticas de ação afirmativa deram certo e se estabilizaram de modo inexorável. Esse fato nos convida a refletir sobre muitos dos seus desdobramentos positivos. As cotas para as pessoas negras, em especial, marcam o fim da democracia racial na educação, democratizam um dos espaços mais importantes para a reprodução do poder e do saber, estimulam nossa juventude a vencer na vida por meio do acesso ao conhecimento crítico, contribuem para diversificar nossas elites e ajudam a transformar a vidas de milhares de pessoas.

Esse processo, ainda em curso, não está mais relacionado somente à graduação. As cotas são medidas poderosas e foram adotadas em mestrados, doutorados, concursos públicos federais, em muitos estaduais e municipais. Em relação ao mercado de trabalho, elas estão desafiando o silêncio corporativo dos que ainda, equivocadamente, pensam que pode haver compatibilidade entre democracia e desigualdade racial.

Com as cotas, a democratização que o antirracismo promove criou instituições mais justas, uma verdadeira transformação social vem se consolidando, apesar de todo retrocesso dos últimos anos.

O Brasil precisa cada vez mais, reconhecer para libertar. Consignar o consenso de que estudantes negros e pobres a partir das cotas estão mudando a universidade pra melhor, e por elas transformando o país. As ações afirmativas são uma realidade, um fato social potente e democrático, que se desenvolvem em diversas áreas, fomentando a cidadania e tornando possível o que antes delas era impensável.

 

Fonte: Uma história Afirmativa. As cotas raciais 20 anos depois - Notícia Preta (noticiapreta.com.br)


Frente Nacional Antirrascista & Educafro em marcha

Frente Nacional Antirrascista & Educafro em marcha

 

A Frente Nacional Antirracista é um movimento que surge por meio de lutas sociais, trazendo a discussão no cenário nacional e internacional sobre emancipação por meio da economia, política, saúde, cultura e educação“.

Neste dia 20 de novembro, a EDUCAFRO BRASIL e ira participar dessa iniciativa, por isso convidamos a todos e todas a procurar a Frente dos seus Estados e apoiar essa causa Da Frente Nacional Antirracista ao povo brasileiro.

#FrenteNacionalAntirracista
#NovembroNegro
#LutaAntirracista
#MarchadaconsciênciaNegra
#EducafroNaConscienciaNegra


FREI DAVID PARTICIPA DA articulação do Ministério Público do Parana com a sociedade civil para a promoção da igualdade racial e o combate ao racismo

FREI DAVID PARTICIPA DA articulação do Ministério Público do Paraná com a sociedade civil para a promoção da igualdade racial e o combate ao racismo

Para discutir estratégias de superação do racismo, a Escola Superior do MPPR, em parceria com o Núcleo da Promoção à Igualdade Racial- NUPIER do MPPR e com o Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça de Proteção aos Direitos Humanos do MPPR, realizou live no dia 18 de novembro.

O encontro, que celebra o “Dia da Consciência Negra”, também tratará sobre a articulação do Ministério Público com a sociedade civil e com os movimentos sociais para que haja melhor controle social sobre a efetivação das normativas de promoção da igualdade racial e combate ao racismo criadas pela Convenção Interamericana Contra o Racismo e pelo Estatuto da Igualdade Racial.

Assista:
https://www.youtube.com/watch?v=BUL-Ul2Ycas


FREI DAVID PARTICIPOU DA SUBCOMISSÃO TEMPORÁRIA DA EDUCAÇÃO NA PANDEMIA DO SENADO

FREI DAVID PARTICIPOU DA SUBCOMISSÃO TEMPORÁRIA DA EDUCAÇÃO NA PANDEMIA DO SENADO

 

Assista pelo link:
https://www.youtube.com/watch?v=9WpS0m9Fhok


QUER ENTRAR NA UERJ SEM VESTIBULAR?

QUER ENTRAR NA UERJ SEM VESTIBULAR?

 

PARA VOCÊ QUE MORA EM QUALQUER CIDADE DO RIO DE JANEIRO

Cursos: Engenharias Mecânica, Química, Produção, Biologia, Pedagogia, etc.

Basta ter feito 300 pontos em um dos ENEM dos anos de 2017, 2018, 2019 ou 2020.

A EDUCAFRO lutou e conquistou! Obrigado, Reitor LODI, por ter atendido nosso apelo!

Obs: você pode ser de qualquer lugar do Brasil, pois se é pobre, terá bolsa financeira, já no primeiro mês, garantida até o fim do curso!
Reúna um grupo da EDUCAFRO e alugue um quarto ao lado da UERJ!

Inscrições: de 9 a 19 deste mês de novembro!
Entre no link e se inscreva agora!
https://www.vestibular.uerj.br/?p=11477

Links importantes:

Edital: https://www.vestibular.uerj.br/anexos/edital_vr.pdf

Calendário: https://www.vestibular.uerj.br/anexos/anexo_1_vr.pdf

Instruções para alunos cotistas: https://www.vestibular.uerj.br/anexos/anexo_2_vr.pdf

Mais informações: (21) 9 6015 3202 Joelson coordenacaorio@educafro.org.br
ou (11) 9 2018 3245 Thiago politicaspublicas@educafro.org.br

Entre agora mesmo em nosso grupo no WhatsApp:

https://chat.whatsapp.com/D3l4dywRX1NKhTIs84ZK4q

Outras oportunidades veja:
allmylinks.com/educafro


EDUCAFRO-concurso-juiz-bolsa-integral

Sem negros na equipe: MP dá parecer favorável à Educafro contra XP investimentos

Sem negros na equipe: MP dá parecer favorável à Educafro contra XP investimentos

 

Ação movida pela ONG indica tese inédita para combater exclusão no mercado de trabalho. Corretora viralizou após publicar foto de sua equipe, sem nenhum afro-brasileiro

 

O Ministério Público do Trabalho do Rio Grande do Sul (MPT-RS) concedeu, na última segunda-feira (25/10), parecer favorável à ação movida pelo projeto Educafro contra a Avel XP Investimentos. A ação foi movida após foto publicada pela corrretora de valores de Porto Alegre (RS), XP Investimentos, assessorada pela Avel, mostrar sua equipe de funcionários, sem nenhum afro-brasileiro entre eles. Na decisão, a Justiça concedeu 15 dias para a defesa das empresas e pediu R$ 10 milhões pela falta de diversidade entre os funcionários.

Segundo Frei David Santos, diretor executivo da Educafro Brasil, a ação visa conscientizar as empresas brasileiras a serem responsáveis no combate à exclusão do povo afro-brasileiro do mercado de trabalho. “Queremos que todas as empresas brasileiras sejam responsáveis e trabalhem, internamente, a atitude consciente de continuar a excluir o povo afro-brasileiro das oportunidades trabalhistas. Isso chama-se racismo institucional”, diz o diretor.

David também critica a resposta dada pela XP e pela Ável no processo. “Culpar a realidade nacional pela exclusão do negro é o mesmo que culpar o clima pela opressão aos povos indígenas”. Segundo Frei, o campo da economia brasileira, entre todos, é um dos mais excludentes quando se trata da participação do povo afro-brasileiro, especialmente no mercado financeiro. “É um dos espaços que mais lucra em cima dos pobres e dos negros e, ao mesmo tempo o que mais exclui”, alerta.

Tese

Segundo o diretor do projeto, que tem como principal objetivo lutar pela inclusão de negros e pessoas de baixa renda nas universidades públicas ou em universidades particulares com bolsa de estudos, o parecer do MPT-RS está bem posicionado. “A tese criada pelos advogados e advogadas da Educafro e das entidades é inédita e vai marcar fortemente o debate nacional daqui para a frente. Essa tese inédita vai fazer a cultura jurídica avançar e crescer”, conta David.

Ainda segundo Frei David, apesar do cenário ainda bastante distante do ideal, existem bons exemplos de luta pela diversidade no mercado de trabalho. “Se essas diferenças já estão solidificadas por um empresariado atrasado, precisamos fazer esses mesmos empresários acordarem e mudarem de atitude. O fato, que nos alegra muito, é o de ver que várias empresas, como a Magalu, não estão esperando que as várias entidades que representam o diversificado movimento negro, com opiniões bem divergentes, abram novos processos. Já estão saindo na frente”, defende o diretor.

Em nota, a XP Investimentos se pronunciou, veja a íntegra:

"Desde a criação da diretoria de ESG, em março de 2020, a XP Inc. vem ampliando seu compromisso com a sociedade. A área vem atuando de forma contínua e propositiva na promoção de ações afirmativas dentro da companhia, hoje com quase 5 mil funcionários. Ao todo, estão sendo investidos mais de R$35 milhões em iniciativas voltadas à diversidade, inclusão e equidade racial para o público interno e externo.

Até 2025, a XP Inc. tem o propósito impactar mais de 500 mil pessoas, chegando a 50% o quadro de profissionais composto por mulheres em todo os níveis hierárquicos e contratando 32% de pessoas negras na companhia, sendo 23% de negros em cargos de liderança (atualmente, já contam com 12,5% de pessoas negras na liderança). Além disso, busca superar o número de 5% de contratação de pessoas com deficiência exigido por lei e promover a educação financeira de 50 milhões de brasileiros nos próximos 10 anos. Estas são algumas das principais metas a curto, médio e longo prazo da agenda ESG estabelecidas pela XP Inc em 2020.

No último ano, foram criadas metas internas para aumentar a contratação, também na liderança, de pessoas negras, mulheres, LGBTQIA + e PCDs. Até 2022, o objetivo é impactar mais de meio milhão de pessoas em todo o país. Para acelerar as ações de D&I, também foram criados grupos de afinidade interna, como o Blacks (coletivo de pessoas negras da XP), o MLHR3 (coletivo de mulheres), o Incluir (pela inclusão de pessoas com deficiência e acessibilidade) e o Seja (por um ambiente mais seguro, respeitoso e diverso para pessoas LGBTI+ na XP).

Essas são uma das centenas de ações realizadas pela companhia com o intuito de impactar mais de meio milhão de pessoas em todo o país. A XP reforça seu compromisso em fazer transformações significativas e reconhece que a diversidade, inclusão e equidade racial e de gênero na companhia e em sua rede de parceiros é uma questão de extrema importância dentro do seu propósito e cultura." 

O MPT sugeriu que o caso seja discutido em uma audiência de conciliação, ainda sem data definida.

Fonte: Sem negros na equipe: MP dá parecer favorável à Educafro contra XP investimentos (correiobraziliense.com.br)


Processo Seletivo UNIFAI PRIMEIRO SEMESTRE de 2022 – Totalmente Online

Processo Seletivo UNIFAI PRIMEIRO SEMESTRE de 2022 – Totalmente Online

O Passo a Passo deve ser seguido na sequência e à risca para não ter erros.

1° Associar-se a Educafro caso ainda não seja associado, para saber como fazer assista este tutorial: https://youtu.be/8jh__QxuByU
LINK PARA SE TORNA ASSOCIADO EDUCAFRO:

https://www.educafro.org.br/associados/register.php
PARA ACESSAR SEU PORTAL DE ASSOCIADO CLIQUE NESTE LINK:

https://www.educafro.org.br/associados/login.php

Etapa concluída

2° Assistir a reunião de acolhida Educafro online e Fazer a Prova de Cidadania Online, para saber como fazer assista este tutorial: https://youtu.be/00M3JJ76k6E

LINK DO CANAL DO YOUTUBE DA EDUCAFRO: https://www.youtube.com/channel/UCiBsFZBwJ8u7T-YRRigSjNg
LINK PARA LER OS TEMAS DE CIDADANIA: https://www.educafro.org.br/site/prova-de-cidadania/

Etapa concluída

3° Após passar na prova de cidadania veja a lista de cursos disponíveis para a UNIFAI acessando site abaixo nos links, e escolha seu curso:
Cursos de Graduação:

https://www.unifai.edu.br/graduacao


Cursos de Especialização (Pós):

https://www.unifai.edu.br/pos-graduacao

PREENCHA ESTE FORMULARIO ANTES DE AVANÇAR PARA PASSO 4°:

https://forms.gle/eGe9u1Cijc9XP2cD8

Etapa concluída

4° Após escolher seu curso pretendido é hora de gerar sua carta de encaminhamento para o Vestibular Educafro UNIFAI 1/2021, para saber como fazer assista este tutorial:

https://youtu.be/GtKPdfLKAVg

(ESTE É UM EXEMPLO DE COMO GERAR SUA CARTA DE VESTIBULAR, NO CASO ESCOLHA A FACULDADE QUE DESEJA CURSA NO CAMPO “Selecione uma faculdade”)

Etapa concluída

5° Após realizar o passo 4° e estar com a carta de vestibular em mãos, faça sua inscrição no Vestibular UNIFAI modalidade prova agendada escolhendo melhor dia e horário para você̂ realizar diretamente de sua casa, para fazer sua inscrição clique
no link abaixo:

Vestibular dos cursos de graduação:

http://bit.ly/UNIFAIgraduacao
TOTVS Educacional | Processo Seletivo (fundasp.org.br)

Inscrição para Especialização e Pós Graduação:

http://bit.ly/UNIFAIespecializacao

TOTVS Educacional | Processo Seletivo (fundasp.org.br)

 

Etapa concluída

6° Você vai ficar sabendo se foi APROVADO no vestibular no prazo máximo de 5 dias, então após realizar seu vestibular espere a UNIFAI lhe comunicar via e-mail sobre sua aprovação e após receber a notícia e hora de fazer a matricula.

Etapa concluída: APROVADO
Terei que refazer o vestibular: volte à ETAPA 4

7° Parabéns se chegou até́ aqui significa que já́ foi aprovado e é hora de fazer sua matricula na faculdade para isso você̂ irá precisar de sua CARTA DE BOLSA EDUCAFRO, ela será́ de 50% e para obtê-la basta se associar TIPO I no plano de associados EDUCAFRO e posteriormente gerar sua CARTA DE BOLSA.
Tutorial de migração de plano EDUCAFRO:

https://www.youtube.com/watch?v=lrAPW3ZwQdE

Etapa concluída

8° Após conseguir sua carta de matricula entre em contato com a UNIFAI através do e-mail: carvalhomargarida29@gmail.com, aos cuidados Sra. Margarida, ela irá te ajudar a finalizar sua matricula.
Etapa concluída

9° Após concluir sua matricula na faculdade já́ pode comemorar pois você̂ é o novo universitário da família Educafro. Vivaaaa! PAZ E BEM.
Uhuuuu! finalizei, e estou matriculad@ como Bolsista EDUCAFRO!


Um recado de Lázaro Ramos para você!

Um recado de Lázaro Ramos para você!

Conheça essa nova iniciativa da EDUCAFRO para o ajudar você a entrar no mercado de trabalho do T.I. Aperte o play!

Repasse para suas redes e acesse bit.ly/lazaroindica para saber mais!