ONG desconfia que candidatos se declararam negros só para conseguir vaga no Itamaraty

A Educafro acionou a Procuradoria-Geral da República para averiguar a situação e fala em “atalho”

NONATO VIEGAS
26/11/2015 – 09h28 – Atualizado 26/11/2015 14h21
Palácio Itamaraty  (Foto: Ana de Oliveira/AIG-MRE)

A ONG Educafro, do Frei David, protocolou na quarta-feira (25) uma representação na Procuradoria-Geral da República (PGR) em que pedeaveriguação do resultado do concurso do Itamaraty para diplomatas. A suspeita da ONG é que candidatos se declararam negros somente para se aproveitar da cota estipulada para o concurso. O resultado do concurso foi divulgado na terça-feira (24) e previa 6% das vagas para negros.

“Alguns candidatos induvidosamente brancos, provavelmente motivados pela insegurança em atingir as notas classificatórias no disputado concurso, buscaram um “atalho” e se declararam negros”, diz um trecho da representação.

Segundo a ONG, a suspeita ganhou corpo a partir da comparação dos nomes dos candidatos aprovados no concurso por meio da cota para negros com seus perfis em redes sociais.

Procurado, o Itamaraty afirmou que seu único critério para acesso à reserva de vagas é a autodeclaração dos candidatos.

 

FONTE: https://epoca.globo.com/tempo/expresso/noticia/2015/11/ong-desconfia-que-candidatos-se-declararam-negros-so-para-conseguir-vaga-no-itamaraty.html