Avanço na política de ações afirmativas

A Entidade EDUCAFRO "suou a camisa" para fazer sair esta portaria!
Foram muitas reuniões e contatos estratégicos!
Não é a redação dos nossos sonhos. Não deixaram passar. 
É o possível que conseguimos!
Vamos agora pressionar as universidades para criarem estas comissões por universidade!
coordenação EDUCAFRO

PÓS-GRADUAÇÃO
Instituições federais têm prazo de 90 dias para apresentar propostas de ações afirmativas

Mercadante destacou a necessidade de o país evoluir nas propostas: “Tivemos um avanço fantástico com nossa política de cotas, mas temos ainda um caminho a percorrer” (foto: Mariana Leal/MEC)

Mercadante destacou a necessidade de o país evoluir nas propostas: “Tivemos um avanço fantástico com nossa política de cotas, mas temos ainda um caminho a percorrer” (foto: Mariana Leal/MEC)Em encontro com servidores do Ministério da Educação, na tarde desta quarta-feira, 11, o ministro Aloizio Mercadante anunciou mais uma medida que representa avanço na política de ações afirmativas da educação brasileira. Ele assinou portaria que estabelece prazo para as instituições de educação superior apresentarem propostas de inclusão de negros, pardos, indígenas e pessoas com deficiência em seus programas de pós-graduação.

“Tivemos um avanço fantástico com nossa política de cotas, mas temos ainda um caminho a percorrer”, disse Mercadante sobre o quadro de inclusão nos cursos de mestrado, mestrado profissional e doutorado. “As universidades têm 90 dias, respeitadas as suas autonomias, para estabelecer as ações afirmativas.”

Além disso, as instituições devem formar comissões próprias para dar continuidade ao processo de discussão e aperfeiçoamento das ações. Segundo o titular da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (Secadi) do MEC, Paulo Gabriel Nacif, esse ponto do documento também é importante porque põe em outro patamar a discussão sobre a presença de negros, pardos e pessoas com deficiência nos programas de pós-graduação. “Isso é algo que nunca existiu no Brasil”, disse Nacif.

“Essa discussão sempre foi marginal, e agora, por determinação do ministro, todos os programas, todas as universidades devem apresentar propostas para que a diversidade brasileira seja reconhecida e esteja presente nos programas.”

A portaria também dá à Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) a incumbência de coordenar a elaboração periódica de um censo discente da pós-graduação, que permitirá o acompanhamento das ações de inclusão. “Para a gente saber como está a evolução das pessoas com deficiência, dos negros e indígenas e para a gente, de fato, ter a segurança de que estamos evoluindo”, explicou Mercadante sobre um dos objetivos do estudo.

Conforme o documento, o MEC vai instituir grupo de trabalho para acompanhar e monitorar as ações previstas na portaria. “Precisamos lembrar que 53% da população brasileira se autodeclara negra; então, não é possível que a gente tenha o desenvolvimento científico-tecnológico do Brasil com 53% da sua população brasileira sendo excluída da sua elite”, salientou Paulo Nacif.

Parecer —Durante a reunião, o ministro também homologou parecer da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação (CNE) que trata das diretrizes curriculares nacionais para a formação inicial e continuada dos funcionários da educação básica. O objetivo é capacitar os funcionários da rede pública de educação básica para atender as especificidades nas diferentes etapas e modalidades desse nível de ensino.

De acordo com Mercadante, a qualidade da educação também passa pela capacitação e valorização dos não docentes. “Eles fazem parte das escolas, e a formação desses servidores é muito importante para a educação”, disse.

Assessoria de Comunicação Social


UFMS confirma 186 vagas no Sisu - Inclusive MEDICINA !

(Obs.: oferece 186 vagas só para negros/as!)

As vagas estão disponíveis entre os cursos de Direito, Engenharia Civil, Pedagogia e Psicologia na sede de Campo Grande; Administração e Geografia (bacharelado) no Campus de Aquidauana; História e Letras – Português (Licenciatura) em Coxim; Administração em Paranaíba; Direito, Medicina e Engenharia de Produção na unidade de Três Lagoas e; Educação Física no Campus Pantanal.

Além da distribuição de vagas, o documento ainda define os pesos e as notas mínimas das cinco provas do Enem 2015 para cada um dos cursos que serão oferecidos na próxima edição do sistema do Ministério da Educação (MEC).

A expectativa é que o Sisu 2016/2 ocorra entre os meses de junho e julho. Fique de olho no Portal infoEnem


VAGAS REMANESCENTES NA UNIFAP !

Unifap Inscrições para 645 vagas remanescentes

A Unifap (Universidade Federal do Amapá) publicou edital para preencher vagas remanescentes pelo PSME .São 645 vagas remanescentes de graduação divididas em 30 cursos. As inscrições podem ser feitas via internet entre os dias 05 a 16 de maio no endereço eletrônico www.unifap.br/depsec  A taxa de inscrição é de R$ 130 reais e podem ser pagas nas agências do Banco do Brasil.

O PSME 2016 será executado em duas etapas conduzidas por bancas examinadoras, definidas pela Pró-reitoria de Graduação e pelos colegiados e coordenações dos cursos que oferecem vagas no processo. A primeira etapa será composta por análise documental. Após o pagamento da taxa, o candidato deve fazer a entrega da documentação (original e cópia) exigida no edital nos dias 20, 21 e 23 de maio, junto ao Depsec.

A segunda etapa da seleção será presencial e será constituída de prova objetiva composta por 50 questões com temas específicos de cada curso de acordo com conteúdos programáticos disponibilizados pelos colegiados e coordenações de cursos. A prova objetiva somente será aplicada nos casos em que se registre demanda superior às vagas em oferta.

As datas, conteúdos programáticos e demais regras específicas da prova, serão publicados após o registro de inscrições nos cursos que registrarem demanda superior às vagas em oferta. Física (licenciatura) é o curso com o maior número de vagas em oferta, 114, seguido de Matemática (licenciatura) com 86 e Geografia (bacharelado), 41. Medicina (4 vagas), Engenharia Civil (5 vagas), Teatro (5 vagas) e Sociologia (6 vagas) figuram com os que ofertam o menor número de vagas.