A EDUCAFRO busca, na justiça federal, obrigar a União a acabar com o desvio de recursos do PNAES, o programa que deveria dar apoio a jovens universitários negros e carentes com bolsa moradia e alimentação

Os desvios foram constatados em auditoria da CGU, (ex: aluguel de ônibus e hotel para levar time de elite, da universidade, para disputar campeonatos, etc.), com dinheiro da moradia e alimentação dos pobres.

As recomendações do CGU, órgão de controle, nunca foram implementadas pelo MEC.

O julgamento no TRF3, que pode impactar positivamente, milhares de vidas de jovens negros e pobres, com estudos afetados pela pandemia do COVID-19, precisa ser acompanhado por toda comunidade afro-brasileira.

Os advogad@s da EDUCAFRO, que são do Escritório Tozzini Freire, pediram para adiar o julgamento e foi aceito pelo juiz.

MOTIVO: a EDUCAFRO, através do Escritório Tozzini Freire conseguiu um fantástico parecer do maior especialista no assunto, Dr Celso Campilongo.

O julgamento deve retomar a qualquer momento.

Mais informações:
www.educafro.org.br

Privacy Preference Center