PROTOCOLO PARA A MELHORIA OU IMPLANTAÇÃO
DA EDUCAFRO BRASIL
UNIDADES LOCAIS, MUNICIPAIS, REGIONAIS OU ESTADUAIS

 

I – INTRODUÇÃO
Esse texto está em construção. Essa é a 6 versão e faremos quantas forem necessárias até chegarmos a envolvermos todos os estados nessa reformatação da EDUCAFRO Brasil. O método Paulo Freire, seguido pela EDUCAFRO, dá esse direcionamento: aprender fazendo! Esse método pedagógico tem seu complemento com o método das CEBs: VER, JULGAR, AGIR, AVALIAR, CELEBRAR. Temos um foco: fortalecer as conquistas do povo afro e desse foco não abriremos mão!

II – DESENVOLVIMENTO
1 – A pandemia fez todas as instituições se redefinirem, no seu modo de se organizar e operacionalizar suas atividades. As instituições sociais que não fizeram isso, estão, agora, na UTI ou já morreram. A EDUCAFRO BRASIL, há três anos sentiu um forte clima de mudanças no ar e lançou um movimento chamado de REFUNDAÇÃO DA EDUCAFRO. Agora, com a pandemia, os princípios dessa refundação foram realinhados e estamos também fazendo a EDUCAFRO se organizar prioritariamente online.
Para canções novas, ouvidos novos. Já orientava e orienta um ditado popular africano. Trabalhos online exige ouvidos novos para entender e se adaptar às novas exigências da articulação.

2 – Esse protocolo que entra em vigor em 1º de janeiro de 2022, define que a EDUCAFRO, em cada estado, deve ir se (re)organizando só online, seguindo os estatutos nacionais, zelando pelo bom conceito construído por todos que passaram por ela antes de nós e com seu CNPJ forte, único para todo o Brasil. A autorização para uso é restrita à diretoria, para servir a qualquer parte do Brasil. Vamos ouvir, avaliar e dar vigor às propostas locais, regionais e de cada estado, para ajudar no empoderamento do povo afro-brasileiro, via EDUCAFRO. Vamos nos fortalecer mutuamente! Essa é uma fase muito rica, de construção, com a ousadia de usar as ferramentas do mundo jurídico, sem abrir mãos de especificidades experimentadas ao longo desses 40 anos e que deram excelentes resultados.

3 – Mais de 80% das oportunidades e demandas que chegam para o povo da EDUCAFRO Brasil, são amplas e atendem às necessidades dos afro-brasileiros de todo o território nacional. Motivaremos para que as lideranças de cada estado ou locais façam um eficiente trabalho, divulgando as oportunidades, adaptando as peças de divulgações aos estilos de cada estado e assim as oportunidades serão procuradas por afro-brasileiros de todo Brasil, saindo do eixo Rio – São Paulo. Queremos mudar essa realidade. Essa mudança só acontecerá se as lideranças de cada estado derem prioridade para se organizarem com intensidade e foco, colocando o empoderamento do povo afro na frente de seus problemas e desafios pessoais, por maiores que sejam os problemas de cada um.

4 – Inicialmente iremos escolher 7 pessoas para formar a comissão estadual ou local, provisória. Em um segundo momento iremos manter na comissão provisória as 3 pessoas mais eficientes, com a habilidades de captar e atrair benefícios para os afros e despertar mais pessoas, negras ou não, de seu estado, para investirem no empoderamento da comunidade afro-brasileira, especificamente em seu estado. Ao mesmo tempo iremos observando e chamando outras para recomporem a comissão de 7 pessoas. Por mais que o critério de representatividade sejam interessantes, a EDUCAFRO Brasil vai priorizar, radicalmente o critério da dedicação à causa.
• Obs.: FRANQUIA SOCIAL: Após o período inicial de reimplantação, deveremos elaborar uma carta orientativa transformando a EDUCAFRO Brasil, numa franquia social nacional. Para isso, será necessária uma formatação intuitiva e jurídica (nossa meta é que essa transformação seja um grande passo que irá fazer gerar empregos e um novo conceito de movimento social no Brasil). Quando? Assim que a maioria dos estados avançarem na reorganização atual e no entendimento do que é FRANQUIA SOCIAL. Iremos organizar reuniões online para ajudar a todos estarem na mesma sintonia colaborativa. Uma das riquezas da franquia social é adaptar para a rede nacional as excelentes experiencias locais.

5 – Nesse primeiro momento a EDUCAFRO Brasil vai se pautar pela eficiência no servir aos seus irm@s afro-brasileir@s, sem se preocupar com estrutura física ou de poder. O binômio intuição X instituição, optando mais pelo primeiro, será a grande luz para fazer os avanços acontecerem. Um dos princípios básicos dessa fase é o de colocar em prática a intuição que consiste na força de cada um, em colocar o máximo de sua energia na causa do povo afro. A instituição, através de sua mantenedora está aí para não deixar que essa corrente do bem venha a perder o foco. A intuição em cada estado mal assimilada, pode gerar a perda de foco e dar asas às vaidades pessoais. Fazer o máximo pelo povo afro do seu estado, esquecendo-se de si é uma das melhores formas de provar que está em sintonia com a energia criadora do mundo que quer ver o nosso povo afro levantar a cabeça e reconquistar seus direitos.
Como está no título, essa é uma carta de princípios. Outros documentos/regramentos serão construídos para dar eficiência ao fazer em cada estado. Mas o fundamental é essa fase, onde queremos detectar boas e eficientes lideranças em cada estado.

6 – A EDUCAFRO Brasil, sede nacional, sempre trabalhará para todos os afros de todos os estados do Brasil, associados legalmente à EDUCAFRO. As coordenações provisórias de cada estado podem, em sintonia e autorização da nacional, avançar com parcerias locais que beneficiam os associados locais. Podem, também, trazer parcerias que beneficiam o conjunto do Brasil, seguindo as orientações e os procedimentos da sede Nacional.

7 – Cabe às parcerias Estaduais ou locais:
a. Replicar, com um estilo e linguagem local, as demandas e oportunidades que chegam à sede nacional, em vista do fortalecimento da rede EDUCAFRO, nos locias/estados.
b. Trabalhar para expandir a quantidade de associados em cada estado.
c. Buscar, convidar e motivar os associados que residem em seu estado e que já estão recebendo benefícios da sede nacional a se engajarem com garra, respeitando todas as normas da LGPD.
d. Ter consciência de que existe um único banco de cadastro da EDUCAFRO em nível nacional e a coordenação de cada local/estado terá acesso somente aos associados de seu local/estado, estando vedado acesso aos dados de associados de outros estados.
e. Conquistar novos voluntários para o desenvolvimento dos trabalhos em cada local/estado.
f. Em cada local/estado, abrir o máximo de núcleos/grupos EDUCAFRO, (pré-vestibular; núcleos jurídicos, EDUCAFRO tech; núcleo político partidário; núcleo de conquistas por políticas públicas, grupos de psicólogos negros, etc.). Isso deve acontecer em cidades, municípios e bairros, em função do despertar dos afros para o empoderamento do nosso povo.
g. Adaptar cada demanda que a Educafro Nacional apresentar à realidade do seu Estado criando folders dentro dos parâmetros da sede nacional (produzidos pela Escola de líderes), mantendo o princípio da instituição.
I- Os núcleos também devem ter iniciativa de produzir as próprias artes denunciando tanto questões de preconceito, violência e discriminação racial.

h. Atrair advoga@s locais para serem bons voluntários, negr@s e branc@s, em vista de ajudar a EDUCAFRO Brasil a radicalizar positivamente na judicialização de muitos casos de racismo, praticados contra o povo afro-brasileiro em cada local/estado, conquistando indenizações coletivas, em função da gravidade do racismo.
i. Atrair psicólog@s negr@s e branc@s em vista de se implementar um excelente trabalho de atendimento ao povo afro, vítima dos traumas gerados pelo racismo estrutural, institucional e individual.
j. Incentivar as pessoas de seus estados a serem um observatório vivo, levantando pautas como preconceito, racismo e violência, bem como orientá-los a fazer um encaminhamento imediato para o e-mail jurídico@educafro.org.br referente a todas as denúncias. Fundamental dar ênfase para pautas positivas, como empregabilidade.
k. Averiguar as fraudes nas Universidades e Concursos Públicos em seus Municípios. Em caso do não cumprimento, por parte das instituições, conforme as respectivas leis 12.990 de 2014 e 12.711 de 2012, adaptar a carta padrão e encaminhá-la ao Ministério Público estadual, denunciando e solicitando medidas a favor da causa.
l. Fazer com que, o máximo possível de afros de seu estado, sejam beneficiados por conquistas das parcerias nacionais. Evitar-se-á definir quantidade de oportunidades por estado, numa primeira etapa. A quantidade de beneficiários de cada estado será um resultado da garra por inclusão, fruto do trabalho da coordenação do seu estado.
m. Cada núcleo deve incentivar e acompanhar seus membros para que o povo negro ocupe principalmente as vagas ociosas nas universidades públicas e Institutos Federais de qualquer estado do Brasil, com bolsa moradia e alimentação, nem que a entidade tenha que abrir mandados de seguranças. Só depois gastar energias com vagas em faculdades particulares. O problema é que elas começam com bolsas boas e, a cada semestres vão mudando para pior. Isso não acontece com as universidades públicas.
I- Incentivar a ocupação das vagas por meio das cotas sócio raciais;
II- A entidade possui mecanismos jurídicos de segurança que podem auxiliar na busca de garantias de moradia, alimentação ou auxílio permanência para todos os estudantes que ingressarem em universidades públicas.
n. Auxiliar a Educafro no mapeamento e na escolha de institutos federais ou universidades públicas, para traçar um plano estratégico de imersão do povo negro e baixa renda através das vagas ociosas.
o. Apresentar à sede nacional contatos dos responsáveis por possíveis universidades e faculdades, de qualidade, de seu estado, em vista de se conseguir bolsas de estudo e outros benefícios para os associados. Qualquer pessoa associada de outros estados, assim querendo e tendo estrutura pessoal de apoio, pode concorrer às bolsas e oportunidades de qualquer estado.
I- A tendência dos estados é manter a lógica anterior da Educafro de investir em conquistar bolsas em universidades particulares, pois entendemos que tais instituições respeitam os horários de atividade acadêmica escolhido pelo estudante no momento do processo seletivo e de matrícula. De modo a ser garantido a possibilidade de trabalho, sem que haja empecilhos acadêmicos. Assim, é importante que os estados continuem a divulgar as bolsas disponíveis em universidades particulares, sem deixar de priorizar as públicas.
p. Criar núcleos presenciais da EDUCAFRO Tech em vista de incluir o povo afro no mundo da tecnologia divulgando frequentemente e possibilitando o crescimento tecnológico, a fim de garantir a empregabilidade do maior número de irmãos.
q. Potencializar o aumento do índice de empregabilidade afro, no seu estado, através de reuniões com empresas, potenciais contratantes com foco na diversidade e fazer a divulgação de vagas de empregos.
I- Incentivar a disputa a ocupação de vagas de empregos online, home office, como nova forma de empoderamento e garantindo a sua presença na formação dos filhos.
r. Promover ações para a inclusão do negro nas grandes empresas de seu estado. Assim, cabe aos responsáveis buscar as empresas mais importantes de seus estados e solicitar que recebam em reunião, o diretor executivo da Educafro brasil para pensarmos possíveis parcerias em busca de promover a inclusão e diversidade negra nesses espaços de trabalho.
s. Organizar debates políticos com candidatos negros de todos os partidos, presentes no seu município e nos estados de modo a promover discussões que considerem as pautas da população afro, evitando vínculo com partidos políticos.
t. Com base na Convenção Interamericana Contra o Racismo, a Discriminação racial e Formas correlatas de Intolerância, a Educafro iniciará uma campanha convidando as prefeituras de seu município a colocarem em prática e alinharem suas metas com as da Convenção, sendo a adoção de ações afirmativas através da políticas de cotas nosso principal foco neste primeiro momento. Cabe ao núcleo de cada local/estado acompanhar o retorno desta pressão da EDUCAFRO Brasil em seu município. Queremos um forte acompanhamento e pressão por parte de cada articulação da EDUCAFRO local.

8 – Cabe à sede Nacional:
a. Criar, no site nacional, o subdomínio para o desenvolvimento do site de cada estado.
b. Dar assessoria às coordenações provisórias estaduais em vista do seu fortalecimento.
c. Receber das comissões provisórias os contatos de possíveis parcerias com universidades e faculdades e enviar as cartas padrões com a assinatura do Diretor Nacional.
d. Trabalhar para criar uma metodologia de contribuição financeira dos associados, de modo que uma porcentagem fique em cada estado.
e. Criar um sistema para ajudar cada estado a gerir suas finanças com transparência fazendo excelente uso do dinheiro provindo das contribuições dos associados de cada estado.
f. Criar um e-mail institucional para cada estado. Exemplo: bahia@educafro.org.br Os membros da coordenação estadual provisória terão acesso à mesma senha.
g. Observar o perfil de quais candidatos irão apoiar as nossas causas na Câmara Municipal, estadual, federal ou Senado.
h. Averiguar quais candidatos negros de sua região estão disponíveis para debates a favor de nossa pautas e envolve-los nas lutas.
i. Solicitar aos coordenadores de cada estado suas demandas, ou seja, o que aquele município precisam para melhorar seus desempenhos.
j. Garantir que as demandas da Educafro Nacional sejam replicadas nos Estados.
9 – Bolsas atualmente disponíveis para todo o Brasil:
a – Cursinho Popular,
b – ICL,
c – Insper,
d – Magistratura,
e – Educafro Tech
f – MPF
g – ANAD
h – Preparatório para Concursos FMB
i – Preparatório para as provas da OAB
j – Metodista

9 – Casos de racismo e violência policial:
a – A EDUCAFRO Brasil possui o seu escritório nacional de advocacia para atender a essas demandas.
b – O escritório fará a triagem e definirá quais demandas a entidade é aconselhada a assumir e quais demandas devem ser encaminhadas para as defensorias estaduais ou defensoria da união.
c – Nossa prioridade absoluta serão as demandas comunitárias. Demandas individuais não são o foco da entidade e sim das defensorias.
10 – Outras propostas das regiões:
A –
B –
C –

III – CONCLUSÃO
Um tempo novo está chegando! Vamos testar o quanto cada membro da Escola de Líderes está entendendo sua missão! Esse texto está sendo lançado hoje, dia 13 de dezembro e será debatido numa reunião, com o Frei e todos os membros da Escola no dia 18/12 às 14 horas. São convidadas para essa reunião pessoas interessadas que estão nos grupos de todos os estados. Os membros da Escola de Líderes da EDUCAFRO têm a missão de estimular a participação do maior número de pessoas de cada estado. Essa primeira reunião será para aprofundar com os estados o futuro que está sendo projetado e de hoje, 12/12 a 18/12, caberá à Escola de Líderes motivar as bases. Esse texto deve ser discutido em todos os grupos em cada estado. Estamos cheios de boas expectativas!
Até lá!