Justiça do DF tem chance de ‘mudar condutas’ tomando como base o caso de racismo de Nelson Piquet contra Lewis Hamilton

Justiça do DF tem chance de ‘mudar condutas’ tomando como base o caso de racismo de Nelson Piquet contra Lewis Hamilton

Ofensas racistas e preconceituosas no esporte começam a ter caminhos punitivos, de modo a servir de exemplo para outros que possam fazer a mesma coisa

Robson Morelli

12 de julho de 2022 | 11h47

A ação judicial contra o tricampeão Nelson Piquet no caso do piloto inglês Lewis Hamilton pode ser um divisor de águas no esporte. O caso está em Brasília (DF), com a possibilidade de uma indenização de R$ 10 milhões, pedidos como forma de “punição” ao brasileiro por entidades nacionais que cobram reparação de dano moral coletivo e dano social infligidos à população negra, comunidade LGBT+ e ao povo brasileiro de modo geral. Pelo trâmite da lei, Piquet tem 15 dias para fazer sua defesa. Se não fizer, deve ser condenado e terá de meter a mão no bolso.

Não se trata de arrancar dinheiro do tricampeão, mas de saber que os casos podem parar na Justiça e ter seus envolvidos punidos. Punição para esses casos de racismo ou de qualquer outro tipo de preconceito no esporte pode ser uma saída para tentar mudar condutas, uma vez que todas as campanhas no sentido de coibir tais atos e educar as pessoas nas praças esportivas se perdem e têm se mostrado de pouca eficiência. Piquet pode ser sim o bode expiatório para uma transformação nesse sentido.

Foto: FIA

Se educar não traz resultados, a punição pela Justiça pode ser um caminho mais efetivo, apesar de duro. Piquet se desculpou, tentou explicar porque chamou Lewis de “neguinho”, mas o fato é que não conseguiu convencer ninguém. Agora, o caso está na Justiça do DF. A lei pode ser aplicada para qualquer caso dessa natureza. As pessoas estão sendo identificadas, por exemplo, nos estádios de futebol. Basta tomar como base os casos envolvendo os torcedores argentinos do Boca Juniors. Eles foram presos e tiveram de pagar fiança de R$ 20 mil para deixar a cadeia. Processados, podem perder mais dinheiro e aí começar a sentir na pele, e no bolso, seus atos racistas e preconceituosos.

Eles vão servir de exemplo (negativo) para outros que pensam em fazer a mesma coisa, ou se sentem tentados. Poderão ainda ser presos, conforme prevê a lei. O Brasil começa a mudar o comportamento dessas pessoas. Há muito, mas muito ainda a ser feito. O caso Piquet/Hamilton é apenas um entre tantos que acontecem diariamente por aí. Mas ele pode se transformar até num exemplo a ser lido e discutido em salas de aulas, de modo a ensinar nossas crianças e adolescentes sobre o tema, sobre o certo e o errado, sobre as leis e suas consequências, sobre a igualdade e o respeito, sobre práticas velhas e abomináveis…

Quando as coisas não mudam com rupturas, elas mudam aos poucos, com ações aqui e acolá, com exemplos a serem seguidos e exemplos a serem condenados. Daí a importância do caso Piquet/Hamilton no Brasil.

Fantástica reflexão!

Fonte: Justiça do DF tem chance de ‘mudar condutas’ tomando como base o caso de racismo de Nelson Piquet contra Lewis Hamilton (estadao.com.br)

É tudo o que nossas entidades querem: REFLEXÃO!

Vamos avançar mais!

Frei David Santos OFM


EDUCAFRO Brasil foi aceita, no dia 01/07, como Amigo da Corte na ADPF 973.

EDUCAFRO Brasil foi aceita, no dia 01/07, como Amigo da Corte na ADPF 973.

A Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental nº 973 é uma ação que pede ao Supremo Tribunal Federal o reconhecimento do estado de coisas inconstitucional, ou seja, da situação de desrespeito e violação aos direitos constitucionais, fundado no racismo estrutural e institucional.

Esse estado de coisas inconstitucional é o que permite a matança do nosso povo afro-brasileiro, executada e financiada pelo Poder Público.

A ação pede que, além do reconhecimento, adotem-se políticas públicas e medidas com o objetivo de corrigir a incompatibilidade entre a vivência do nosso negro e os direitos garantidos pela Constituição Federal de 1988.

A EDUCAFRO Brasil, sempre comprometida com a garantia de nossos direitos, foi aceita nessa ação com a representação do Dr. Werneck, a quem somos imensamente gratos, e argumenta que é necessário reconhecer essa barbárie com o povo negro no Brasil e que se tomem medidas URGENTES para contê-la.


Justiça do DF dá 15 dias para ex-piloto Nelson Piquet explicar falas racistas e homofóbicas

Justiça do DF dá 15 dias para ex-piloto Nelson Piquet explicar falas racistas e homofóbicas

Entidades de defesa dos direitos humanos pedem indenização de R$ 10 milhões ao ex-piloto acusado de chamar Lewis Hamilton de 'neguinho' e fazer ofensa com teor homofóbico durante entrevista.

Justiça acata ação da Educafro Brasil e outras entidades contra Piquet por falas racistas e homofóbicas a Hamilton

Justiça acata ação da Educafro Brasil e outras entidades contra Piquet por falas racistas e homofóbicas a Hamilton

Ao final do texto, leia a decisão interlocutória completa.

O ex-piloto de F1 agora terá 15 dias para se manifestar sobre o caso; Indenização solicitada é de R$ 10 milhões por danos morais

Por Redação do ge — Rio de Janeiro e Brasília

 


Depois de ser denunciado no Ministério Públicoo Tribunal de Justiça do Distrito Federal (MPDFT), na figura do juíz Felipe Costa da Fonseca Gomes, acatou a ação civil pública movida por quatro instituições contra o tricampeão de Fórmula 1 Nelson Piquet por falas racistas e homofóbicas em relação ao heptacampeão mundial Lewis Hamilton. Agora, o ex-piloto brasileiro terá um prazo de 15 dias para se manifestar.

As ações públicas foram protocoladas por entidades de defesa aos direitos da população negra e da comunidade LGBTQIA+, como a Aliança Nacional LGBTI, o Centro Santos Dias de Direitos Humanos, A Associação Brasileira de Famílias Homotransafetivas (Abrafh) e a EducAfro. No processo, elas pedem uma indenização no valor de R$ 10 milhões. Este valor seria utilizado na abertura de editais para órgãos defensores de pautas do movimento negro e LGBT+.

Nelson Piquet, tricampeão da F1, no Circuito de Spa-Francorchamps, na Bélgica — Foto: Joe Portlock/Formula Motorsport Limited via Getty Images

Nelson Piquet, tricampeão da F1, no Circuito de Spa-Francorchamps, na Bélgica — Foto: Joe Portlock/Formula Motorsport Limited via Getty Images

- As Associações Autoras requerem reparação de dano moral coletivo e dano social infligidos à população negra, à comunidade LGBTQIA+, e ao povo brasileiro de modo geral, em razão das graves ofensas racistas e homofóbicas vociferadas pelo réu, com a responsabilidade de quem porta a imagem pública de esportista tricampeão mundial de Fórmula 1 brasileiro - declara a petição pública à qual Piquet responde.

Relembre o caso

 

Durante uma entrevista realizada no fim de 2021, Piquet se refere a Hamilton como "neguinho" por pelo menos duas vezes ao avaliar a batida do britânico com Max Verstappen - genro do tricampeão - na edição passada do GP da Inglaterra. A gravação ganhou notoriedade nas últimas semanas.

A fala foi alvo de repúdio da F1, da Federação Internacional do Automobilismo (FIA) e da equipe de Hamilton, Mercedes, bem como equipes e pilotos rivais do heptacampeão. Piquet foi suspenso do Clube de Pilotos Britânicos, do qual fazia parte como membro honorário e, segundo a imprensa britânica, ainda foi banido do paddock da F1.

"O 'neguinho' meteu o carro e deixou. O Senna não fez isso. O Senna não fez isso. Ele foi, assim, 'aqui eu arranco ele de qualquer maneira'. O 'neguinho' deixou o carro. É porque você não conhece a curva; é uma curva muito de alta, não tem jeito de passar dois carros e não tem jeito de passar do lado. Ele fez de sacanagem", disse o ex-piloto em entrevista.

 

Piquet chegou a divulgar uma nota sobre o episódio na qual, embora peça desculpas, minimiza o peso do termo utilizado - que considera uma "expressão coloquial". Entretanto, dias depois, o tricampeão mundial contrariou o próprio pedido ao afirmar que não disse nada errado. Ele justificou o uso do termo "neguinho" por também adotá-lo para "amigos brancos", e também garantiu não se importar com as acusações.

Nelson Piquet foi denunciado no Ministério Público por usar termos racistas e homofóbicos contra Lewis Hamilton — Foto: Darren Heath/Getty

Nelson Piquet foi denunciado no Ministério Público por usar termos racistas e homofóbicos contra Lewis Hamilton — Foto: Darren Heath/Getty

Nas vésperas do GP da Inglaterra, porém, outro trecho da mesma entrevista foi divulgado pelo portal Grande Prêmio. Neste, o tricampeão repete o termo racista e ainda faz uso de uma expressão homofóbica, além de ofender os ex-pilotos Keke e Nico Rosberg.

Injúria racial

 

Doutor em Direito e autor do livro "Racismo Recreativo", Adilson Moreira confirma que Piquet poderia ser legalmente responsabilizado pela fala racista:

- Isso daria margem para um processo de injuria racial. Esse crime ocorre quando uma pessoa utiliza palavras que ofendem o senso de decoro e honra subjetivas.

O especialista em Direito antidiscriminatório também explicou a problemática na expressão adotada pelo ex-piloto.

Termos como "neguinho", "criolo", "negão" são utilizados em uma variedade de situações. Mas expressam estereótipos, representações negativas sobre pessoas negras. Elas reproduzem a ideia de que negros não são atores sociais competentes, são pessoas moralmente degradadas. Esse foi exatamente o sentido utilizado por Nelson Piquet quando fez referência a Lewis Hamilton - disse Moreira.

Resposta de Hamilton

 

Recém-nomeado cidadão honorário do Brasil, o heptacampeão da Mercedes repostou um fã que questionou, de forma irônica, "quem é Nelson Piquet?". Depois, pediu por mudanças de mentalidade em português e finalizou as postagens cobrando por ações efetivas contra a discriminação no esporte.

Lewis Hamilton no paddock do Circuito de Spielberg, palco do GP da Áustria da F1 — Foto: ANP via Getty Images

Lewis Hamilton no paddock do Circuito de Spielberg, palco do GP da Áustria da F1 — Foto: ANP via Getty Images

Fonte: Justiça acata ação contra Piquet por falas racistas e homofóbicas a Hamilton | fórmula 1 | ge (globo.com)

Decisão interlocutória:

0724479-75.2022.8.07.0001- despacho 08.07

11/07/2022
Número: 0724479-75.2022.8.07.0001
Classe: PROCEDIMENTO COMUM CÍVEL
Órgão julgador: 20ª Vara Cível de Brasília
Última distribuição : 04/07/2022
Valor da causa: R$ 10.000.000,00
Assuntos: Indenização por Dano Moral
Nível de Sigilo: 0 (Público)
Justiça gratuita? NÃO
Pedido de liminar ou antecipação de tutela? NÃO
Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios
PJe - Processo Judicial Eletrônico
Partes Advogados
FRANCISCO DE ASSIS: EDUCACAO, CIDADANIA,
INCLUSAO E DIREITOS HUMANOS (AUTOR)
MARLON JACINTO REIS (ADVOGADO)
MATHEUS SALES DE OLIVEIRA LOPES (ADVOGADO)
RAFAEL MARTINS ESTORILIO (ADVOGADO)
CENTRO SANTO DIAS DE DIREITOS HUMANOS DA ARQ
DE S PAULO (AUTOR)
MARLON JACINTO REIS (ADVOGADO)
MATHEUS SALES DE OLIVEIRA LOPES (ADVOGADO)
RAFAEL MARTINS ESTORILIO (ADVOGADO)
ALIANCA NACIONAL LGBTI (AUTOR)
MATHEUS SALES DE OLIVEIRA LOPES (ADVOGADO)
MARLON JACINTO REIS (ADVOGADO)
RAFAEL MARTINS ESTORILIO (ADVOGADO)
ASSOCIACAO BRASILEIRA DE FAMILIAS
HOMOTRANSAFETIVAS - ABRAFH (AUTOR)
MATHEUS SALES DE OLIVEIRA LOPES (ADVOGADO)
MARLON JACINTO REIS (ADVOGADO)
RAFAEL MARTINS ESTORILIO (ADVOGADO)
NELSON PIQUET SOUTO MAIOR (REU)
Outros participantes
MINISTERIO PUBLICO DO DISTRITO FEDERAL E DOS
TERRITORIOS (FISCAL DA LEI)
Documentos
Id. Data da
Assinatura
Documento Tipo
130672661 08/07/2022
19:49
Decisão Decisão
Num. 130672661 - Pág. 1 Assinado eletronicamente por: FELIPE COSTA DA FONSECA GOMES - 08/07/2022 19:49:37
https://pje.tjdft.jus.br/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=22070819493718400000120939973
Número do documento: 22070819493718400000120939973
Este documento foi gerado pelo usuário 556.***.***-06 em 11/07/2022 11:22:56
Poder Judiciário da União
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO DISTRITO FEDERAL E DOS TERRITÓRIOS
20ª Vara Cível de Brasília
Número do processo: 0724479-75.2022.8.07.0001
Classe judicial: PROCEDIMENTO COMUM CÍVEL (7)
AUTOR: FRANCISCO DE ASSIS: EDUCACAO, CIDADANIA, INCLUSAO E DIREITOS HUMANOS,
CENTRO SANTO DIAS DE DIREITOS HUMANOS DA ARQ DE S PAULO, ALIANCA NACIONAL
LGBTI, ASSOCIACAO BRASILEIRA DE FAMILIAS HOMOTRANSAFETIVAS - ABRAFH
REU: NELSON PIQUET SOUTO MAIOR
DECISÃO
Inicialmente, esclareço à ilustre advogada peticionante do id. 130580193 (Dra. Amanda Souto Baliza) que,
embora o seu nome conste da petição de id. 130580193, a sua firma não foi lançada na referida peça, senão
apenas a assinatura do Dr. Marlon Jancito Reis, daí por que a determinação de emenda “a” ao id.
130217850. O ponto em questão, porém, restou devidamente suprido pela documentação que acompanhou a
petição de id. 130580193.
Recebo a emenda.
As circunstâncias da causa revelam ser improvável um acordo nesta fase embrionária. Portanto, deixo de
designar a audiência de conciliação, sem prejuízo de fazê-lo adiante, se a medida se mostrar adequada para
abreviar o acesso das partes à melhor solução da lide.
Cite-se a parte ré para apresentar contestação em 15 dias.
Em caso de não localização da parte ré, autorizo, desde já, em homenagem ao princípio da cooperação e
para atender ao disposto no art. 256, § 3º, do CPC, a realização de pesquisas de endereço nos sistemas
informatizados à disposição deste juízo.
A fim de evitar pedidos futuros de novas pesquisas, esclareço à parte autora que a consulta aos sistemas
INFOSEG, SIEL e SISBAJUD implica no esgotamento dos meios ao alcance deste juízo para a localização
do atual paradeiro da parte requerida. Expeça-se carta precatória, se necessário, competindo ao advogado da
parte interessada promover sua distribuição, comprovando seu andamento nos autos.
Se não houver sucesso nas diligências, a parte autora deverá, nos termos do art. 257, I, do CPC,
requerer desde logo a citação por edital, afirmando estar o réu em local incerto e não sabido, caso em
que fica desde já deferida a citação por edital, com prazo de 20 dias.
Deverá o edital de citação consignar todas as informações previstas nos incisos III e IV e parágrafo único do
artigo 257 acima indicado.
Na ausência de manifestação do autor, intime-se pessoalmente para dar andamento ao feito, em 5 dias, sob
pena de extinção.
Advirto, desde já, que não será deferido pedido de suspensão do processo enquanto não citada a parte
Num. 130672661 - Pág. 2 Assinado eletronicamente por: FELIPE COSTA DA FONSECA GOMES - 08/07/2022 19:49:37
https://pje.tjdft.jus.br/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=22070819493718400000120939973
Número do documento: 22070819493718400000120939973
Este documento foi gerado pelo usuário 556.***.***-06 em 11/07/2022 11:22:56
contrária.
Cite-se e intimem-se.
Intime-se o Ministério Público.
Decisão datada, assinada e registrada eletronicamente.
FELIPE COSTA DA FONSECA GOMES
Juiz de Direito Substituto


A EDUCAFRO Brasil solicita ao Presidente do Tribunal Superior Eleitoral, uma reunião emergencial

A EDUCAFRO Brasil solicita ao Presidente do Tribunal Superior Eleitoral, uma reunião emergencial, on-line, com os Presidentes de todos os - partidos políticos - para discutir o combate a violência na pré campanha e na campanha deste ano de 2022

Sem contar essa atual morte, mais de 150 parlamentares afro-brasileir@s tem sido perseguidos em todo Brasil.

Basta de mortes por disputas políticas e intolerâncias!

Violência bolsonarista: Líder do PT em Foz do Iguaçu é assassinado

Embalados por um discurso de ódio e perigosamente armados pela política oficial do atual Presidente da República, quaisquer pessoas ensandecidas por esse projeto de morte e destruição vêm se transformando em agressores ou assassinos
 10/07/2022 10h03 - atualizado às 10h32
Site do PT

Liderança do PT é assassinada em Foz do Iguaçu

Mais um querido companheiro se foi nessa madrugada, vítima da intolerância, do ódio e da violência política. Em plena celebração de seu aniversário, em que comemorava seus 50 anos com familiares, amigos e companheiros, em Foz do Iguaçu, PR, nosso Marcelo Arruda foi assassinado por um bolsonarista que, pouco antes, havia interrompido a festa e ameaçado de armas na mão a todos os presentes, familiares, amigos, companheiros ali reunidos, na sede da Associação Esportiva Saúde Física Itaipu.

Marcelo era guarda municipal e um grande militante do PT, tendo sido nosso candidato a vice-prefeito em Foz do Iguaçu nas eleições de 2020. As últimas imagens de sua vida, gravadas no momento em que cantavam o parabéns, registram sua alegria de viver, seu entusiasmo com a militância, seu compromisso de vida com o PT e o presidente Lula.

Antes de ser assassinado com três tiros pelo policial penal fascista que o abordou no estacionamento, Marcelo tentou ainda se defender com a arma funcional que tinha em seu carro e reagiu. O assassino de Marcelo também veio a falecer. Marcelo, no seu ato derradeiro e heróico, salvou inúmeras vidas, pois o fascista também ameaçava e poderia ter assassinado a todos na festa, inclusive a sua família.

Desde o começo do ano, quando lançou uma Campanha Nacional contra a Violência Política, o PT vem alertando a sociedade brasileira e as autoridades dos vários Poderes da República para a escalada de perseguição a parlamentares, filiados e filiadas, militantes de movimentos sociais e de outros partidos de esquerda e o crescimento da violência política no país.

Embalados por um discurso de ódio e perigosamente armados pela política oficial do atual Presidente da República, que estimula cotidianamente o enfrentamento, o conflito, o ataque a adversários, quaisquer pessoas ensandecidas por esse projeto de morte e destruição vêm se transformando em agressores ou assassinos.

Marcelo estava na flor da idade, tinha uma vida pela frente com sua família, esposa e quatro filhos, a quem prestamos nossa total solidariedade e apoio, e sonhava com um Brasil justo e democrático, fraterno e solidário, que queria construir com o povo brasileiro a partir da derrota do fascismo e da eleição de Lula Presidente.

Basta de violência! Basta de destruição! É tempo de reconstrução e transformação do Brasil e das relações entre brasileiros e brasileiras! Vamos chorar e enterrar mais um companheiro que tombou vítima da violência política, basta!

Cobramos das autoridades de segurança pública medidas efetivas de prevenção e combate à violência política, e alertamos ao Tribunal Superior Eleitoral e ao Supremo Tribunal Federal para que coíbam firmemente toda e qualquer situação que alimente um clima de disputa violenta fora dos marcos da democracia e da civilidade. Iniciativas nesse sentido foram devidamente apontadas pelo PT em várias oportunidades, junto ao Congresso Nacional, o Ministério Público e o Poder Judiciário.

Marcelo, não esqueceremos de você, em sua memória continuaremos na luta contra a violência, a injustiça e a intolerância. Presente, hoje e sempre!

Gleisi Hoffmann, Presidenta Nacional do PT
Abdael Ambruster, Coordenador Nacional do Setorial de Segurança Pública do PT

Fonte - Violência bolsonarista: Líder do PT em Foz do Iguaçu é assassinado | Partido dos Trabalhadores


Curso - "CRIMES CONTRA A DIGNIDADE SEXUAL E PERSPECTIVAS DE GÊNERO".

A EDUCAFRO Brasil e o Instituto de Direito e Humanidade convida nossos associados interessados para fazer o curso "CRIMES CONTRA A DIGNIDADE SEXUAL E PERSPECTIVAS DE GÊNERO".

Ministrantes: Juíza Adriana Cruz e juíza Clara Mota

As aulas acontecerão nos dias 20 e 21/07 e 28 e 29/9, das 19 até 21h, serão virtuais e síncronas.

Público-Alvo: estudantes e profissionais com noções básicas de Direito Penal.

1- É preciso ser associad@ à EDUCAFRO para concorrer a uma vaga no curso: https://www.educafro.org.br/associados/login.php

As vagas são limitadas. Então corra e garanta a sua!
Selecionaremos as primeiras pessoas associadas que preencherem este formulário e tiver a decisão de servir a essa causa!

Link do formulário: https://forms.gle/mX4MfQKpoRMeHuSs9

A manifestação de interesse neste formulário estão abertas até 13/07.
Após este cadastro os selecionados receberão o link para inscrição no curso que deve ser preenchido no dia 14/07.

Para outras oportunidades: https://www.educafro.org.br


INSPER: Vamos batalhar por bolsa de 100% em Especialização, Mestrado ou Doutorado?

INSPER: Vamos batalhar por bolsa de 100%
em Especialização, Mestrado ou Doutorado?

São cursos nas áreas de:
Direito, Politicas Públicas, Economia, Gestão e etc.

Entre na dinâmica em vista desta conquista!

É necessário participar da reunião geral no próximo domingo, dia 17/07, das 9 às 12 horas.

Preencha o forms abaixo:
https://forms.gle/YSeZZJMCTTYzSHzT9

Mais oportunidades?
www.educafro.org.br


900 VAGAS SOBRANTES NA UERJ-2022: chegou sua vez!

900 VAGAS SOBRANTES NA UERJ-2022: chegou sua vez!

Chegou a sua vez de vencer. A Educafro Brasil, lhes apresenta essas grande oportunidade para o seu sucesso pessoal e para o sucesso COLETIVO.

O Passo a passo deve ser seguido na sequência e a risca para não ter erros.

1) Quer ingressar agora, já no segundo semestre?

2) Mais de 900 vagas disponíveis - (Engenharias, Ciências Biológicas, Mecânica, Estatísticas, Física - depois fazer transferência para TI - Pedagogia, etc)

3) Várias em cidades pequenas, com baixo custo de vida!

4) Obs: todos os que comprovarem serem pobres, na matrícula, receberão após sua inscrição nas disciplinas, bolsa permanência de R$606,00 por mês! (a EDUCAFRO Brasil vai motivar que vocês se reúnam em grupos e aluguem casas perto da unidade escolhida por você, da UERJ. Gasto ZERO de passagem! Aluguel e alimentação, sendo feitos em comum dá para vencer com os R$606,00/mês e sobra um troquinho para o sorvete!

5) Inscrições super fácil: só online! até 18/julho (todos os inscritos deverão participar da reunião geral da EDUCAFRO Brasil, no dia 17/7, das 9 às 12 horas, presencial ou online)

6) é obrigatória a leitura deste edital (e você deve tirar dúvidas das pessoas no grupo de whatsapp) https://www.vestibular.uerj.br/anexos/224/Edital_Vagas_Remanescentes_edital.pdf

6) Basta ter tirado 200 pontos no ENEM, em uma das suas edições 2018, 2019, 2020 ou 2021

7) Se houver mais de 50 pessoas de um só estado para uma das unidades (ex: Resende), a EDUCAFRO Brasil vai alugar um ônibus para trazer todos para essa unidade da UERJ!

8) Sua vida vai mudar agora, ingressando na UERJ neste segundo semestre/22!

9) Inscrições super fácil: só online e até 16/julho Link: https://sistemas.vestibular.uerj.br/modulo/login/src/view/action/LoginIniciaAction.php

Entre no grupo de WhatApp da EDUCAFRO Brasil e tire suas dúvidas:

https://chat.whatsapp.com/FM4Kvsy4T6m1urEArYaaMm

Para outras oportunidades acesse: https://allmylinks.com/educafro


A Educafro junto com movimentos sociais do RJ entregou uma carta ao candidato Lula e o vice se sua chapa Alckmin

A Educafro, junto com movimentos sociais do RJ entregou uma carta ao candidato Lula e o vice se sua chapa Alckmin

Na tarde de hoje, o presidente da Educafro Frei David, entregou uma carta ao presidenciável Luiz Inácio Lula da Silva e Geraldo Alckmin.

Veja as fotos e leia a carta na integra abaixo.

 

 

 

Ao Candidato a Presidente do Brasil Luiz Inácio LULA da SILVA

A EDUCAFRO Brasil, representada por sua Mantenedora, FAECIDH – Francisco de Assis, Educação, Cidadania, Inclusão e Direitos Humanos, pessoa jurídica de direito privado sem fins econômicos, com sede no Rio de Janeiro e São Paulo, na Rua Riachuelo, 342, CEP 01.007-000, Centro, São Paulo/SP, inscrita no CNPJ sob o nº 10.621.636.0001-04, reconhecida como organização da sociedade civil brasileira pela Organização dos Estados Americanos – OEA, vem propor que seu futuro governo avance no atendimento às demandas da Comunidade afro-brasileira.

Nos quatro governos anteriores vocês fizeram algo avançado, em relação aos governos que antecederam a vocês. De 2016 até 2022, muita coisa no Brasil e no mundo mudou/avançou e, algumas atitudes dos quatro governos anteriores não cabem no atual nível de reflexão e luta do povo afro-brasileiro - “atos velados camuflados que hoje são classificados como racismos estruturais” - só hoje explícito para toda sociedade.

Por isso, é fundamental que o próximo governo, possa acolher as demandas da maior parte da população, 56,4% que somos os afro[1]brasileiros. 
Queremos o seu compromisso de que, em 30 dias de sua posse, baixará um decreto, dentro da Lei de COTAS para afro-brasileiros no serviço público, determinando COTAS DE 20% PARA AFRO-BRASILEIROS nos cargos de confiança, em todas as áreas do governo federal. 
3- A constituição de uma NOVA SEPPIR só terá sentido se não for apenas um “puxadinho sem verbas e sem suficiente material humano”, como foram as anteriores. E, o mais grave: qualquer assunto de afro-brasileiro, jogavam para a SEPPIR resolver, sem destinar verbas e nem material humano.

A SEPPIR não pode ser um órgão para atender pequenos grupos do partido, mas fruto de um debate com os 56,4% do povo afro-brasileiro.
A EDUCAFRO Brasil acredita que o forte candidato Lula, como alguém do povo, alguém que entende das mazelas desse Brasil desigual e racista irá acolher nossas propostas como alguém de bem e, que quer ver o povo que mais sofre no Brasil, vencendo essas barreiras e empenhado na construção de um Brasil com equidade.

Brasil, 07 de julho de 2022.

Frei David Santos OFM
Diretor Presidente da EDUCAFRO Brasil

 

Fonte: Imagem de destaque - Nelson Almeida/AFP


A EDUCAFRO Brasil convida nossos associados para assistir o lançamento do documentário "AUTODECLARADO"

A EDUCAFRO Brasil convida nossos associados para assistir o lançamento do documentário "AUTODECLARADO"

 

O Diretor da EDUCAFRO Brasil é um dos entrevistados do FILME "AUTODECLARADO".

Uma produção de Maurício Costa que discute colorismo, racismo, identidade racial e política pública de cotas no Brasil.

A exibição será dia 12 de julho, às 21h no Espaço Itaú de Cinema, na rua Frei Caneca, Sala 6, localizado na cidade de São Paulo.

Há ingressos limitados. Então corra e garanta o seu!

Quer participar?
Preencha o formulário: https://forms.gle/mXDCLFvv2g7spD4N9

1- É necessário participar do grupo do WhatsApp ao final do formulário para ter acesso a mais informações sobre a concessão dos ingressos.

2- É preciso ser associad@ à EDUCAFRO para receber o ingresso: https://www.educafro.org.br/associados/login.php

Para outras oportunidades: https://allmylinks.com/educafro