DO MOVIMENTO POPULAR PARA O CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

 

O CNE é um dos cargos mais cobiçados da República. Pela primeira vez se tem noticias de que uma pessoa que saiu do movimento social negro tem alcançado este cargo. O ex-voluntário da EDUCAFRO, militante NEGRO IVAN SIQUEIRA, por indicação da entidade, foi escolhido pelo Ministro da EDUCAÇÃO Aloísio Mercadante, como o mais novo membro do CNE!


UNILA OFERTA VAGAS PARA IMIGRANTES HAITIANOS

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>CADASTRE-SE AQUI<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<


Família EDUCAFRO recebe mais um símbolo de reconhecimento nacional

A Família EDUCAFRO foi agraciada, no dia 25/11/2015, pelo Senado Federal com a COMENDA ABDIAS DO NASCIMENTO, um importante símbolo de reconhecimento à luta de diversos voluntários,professores e associados que fazem parte desse projeto que já incluiu mais de 40.000 negros e brancos pobres nas Universidades Públicas e Particulares com Prouni, Fies e Bolsas de Estudo nos últimos 10 anos. Muito mais queue nos 500 anos anteriores da história do Brasil.

Após a cerimônia, o Frei David, que representou a família Educafro nesse ato solene, concedeu entrevista falando da importância dessa comenda entrevista foi apresentada no programa O Senado é mais Brasil de hoje, dia 25/11/2015.

 

Ao ser perguntado sobre os conquistas do movimento negro no Brasil, Frei David expõe que : "Tivemos muitas conquistas, mas grande parte delas estão sendo corroídas pelas universidades irresponsáveis que não geram mecanismos de fiscalização e garantia da política pública".

Referente à existência do preconceito racial no país ele explica que "Preconceito sempre exisitiu e vai mudar à medida em que o negro começar a colocar-se em todos os lugares da sociedade,"

A entrevista na íntegra pode ser verificada através do link :

https://www12.senado.leg.br/radio/1/senado-e-mais-brasil/comenda-abdias-nascimento-2013-homenagem-a-carlos-da-silva-santos


Possível Fraude No Itamaraty

ONG desconfia que candidatos se declararam negros só para conseguir vaga no Itamaraty

A Educafro acionou a Procuradoria-Geral da República para averiguar a situação e fala em "atalho"

NONATO VIEGAS
26/11/2015 - 09h28 - Atualizado 26/11/2015 14h21
Palácio Itamaraty  (Foto: Ana de Oliveira/AIG-MRE)

A ONG Educafro, do Frei David, protocolou na quarta-feira (25) uma representação na Procuradoria-Geral da República (PGR) em que pedeaveriguação do resultado do concurso do Itamaraty para diplomatas. A suspeita da ONG é que candidatos se declararam negros somente para se aproveitar da cota estipulada para o concurso. O resultado do concurso foi divulgado na terça-feira (24) e previa 6% das vagas para negros.

“Alguns candidatos induvidosamente brancos, provavelmente motivados pela insegurança em atingir as notas classificatórias no disputado concurso, buscaram um “atalho” e se declararam negros”, diz um trecho da representação.

Segundo a ONG, a suspeita ganhou corpo a partir da comparação dos nomes dos candidatos aprovados no concurso por meio da cota para negros com seus perfis em redes sociais.

Procurado, o Itamaraty afirmou que seu único critério para acesso à reserva de vagas é a autodeclaração dos candidatos.

 

FONTE: https://epoca.globo.com/tempo/expresso/noticia/2015/11/ong-desconfia-que-candidatos-se-declararam-negros-so-para-conseguir-vaga-no-itamaraty.html


DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA

 

 

 

 

 

 A Educafro irá compor a mesa .

E o articulador deste evento é o consultor da Educafro, de Irapuã.

cid:image001.jpg@01D11BD4.B5A967D0


ADVOGADO DA EDUCAFRO CONSEGUE INDENIZAÇÃO DE R$ 50.000,00

A EDUCAFRO parabeniza o Tribunal Regional do Trabalho que de maneira brilhante reformou a sentença de primeiro grau que não puniu tamanho abuso da empresa, e informa que repudia toda a forma de exclusão social, discriminação aos trabalhadores e a nefasta prática de ASSÉDIO MORAL, cada dia mais comum no ambiente de trabalho.

GRUPO EMPRESARIAL CAOA  viola direitos de empregados ao consultar no SERASA a vida financeira dos trabalhadores e pressioná-los de forma grosseira, violando direitos de privacidade.

Grave abuso, que gerou a condenação da empresa em segunda instância (Tribunal Regional do Trabalho) na quantia de R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais) por DANOS MORAIS devidos à trabalhadora, além da expedição de ofício ao Ministério Público do Trabalho, que ainda poderá adotar outras medidas para punir a conduta ilícita da empresa. Processo 00026848420145020046 (número TRT02)”

 

Se você for vítima de abusos por parte dos empregadores procure a EDUCAFRO, que conta com uma equipe de advogados voluntários especializados em defender os direitos dos mais vulneráveis.

 

FAMÍLIA EDUCAFRO,

LUTE POR SEUS DIREITOS!


Congresso com mais de 100 instituições de ensino

Família EDUCAFRO,
Fomos convidados para este Congresso com mais de 100 Instituições de ensino.
 
Nossa meta é falar nos avanços do Brasil e dar enfase nos desafios
 
que ainda temos que vencer. 
Aguardamos de todos colaborações e sugestões de conteúdo de abordagens deste tema.
Já chegaram algumas boas contribuições!
Veja a mesa na qual a EDUCAFRO vai levar a contribbuiição
com o OLHAR do povo negro do Brasil:
DATA: de 11 a 13 de novembro

Mesa redonda: La política universitaria:
desafíos para la democratización
Panelistas Adrián Bonilla. FLACSO [Ecuador]
Frei David Santos. EDUCAFRO [Brasil]
Gabriela Diker. UNGS [Argentina]
Ignacio Mantilla Prada. UNAL [Colombia]
José Bengoa. DIE/UAHC [Chile]
Mauricio Alviar Ramírez. UdeA [Colombia]
POLÍTICAS UNIVERSITARIAS EN AMÉRICA LATINA: ENTRE LOS RANKINGS Y LA DEMOCRATIZACIÓN

 

Conheça mais:

 


Prêmio Nobel da Paz na Tunísia

A família EDUCAFRO

parabeniza a estratégia de unir

grupos diversos de um país 

para se buscar a superação

dos problemas!

Direção EDUCAFRO

Grupo ganha Nobel da Paz por promover democracia na Tunísia

Do UOL, em São Paulo 09/10/201506h05

  • Membro do Comitê Nobel da Noruega anuncia o Quarteto de Diálogo Nacional, da Tunísia, como ganhador do Nobel da Paz de 2015

    Membro do Comitê Nobel da Noruega anuncia o Quarteto de Diálogo Nacional, da Tunísia, como ganhador do Nobel da Paz de 2015

Um conjunto de quatro organizações, chamado de Quarteto de Diálogo Nacional, ganhou o prêmio Nobel da Paz por sua contribuição para a construção de uma democracia plural na Tunísia após a revolução de 2011, anunciou nesta sexta-feira (9) o Comitê Nobel da Noruega, em Oslo.

O grupo é composto por quatro organizações: a União Geral Tunisiana do Trabalho (UGTT, um sindicato), a União Tunisiana da Indústria, do Comércio e do Artesanato (Utica, patronato), a Ordem Nacional dos Advogados da Tunísia (ONAT) e a Liga Tunisiana dos Direitos Humanos (LTDH).

A revolução de 2011 na Tunísia deu início ao movimento conhecido como Primavera Árabe, que logo se espalhou por várias regiões, principalmente no norte da África e no Oriente Médio.

O anúncio contrariou todas as estimativas de favoritos ao prêmio. Entre os mais cotados para ganhar o Nobel da Paz deste ano estavam, entre outros, o papa Francisco, a chanceler alemã Angela Merkel, o padre Mussie Zerai, da Eritreia, e o médico congolês Dennis Mukwege.

Ao todo, 273 nomes foram indicados, incluindo pessoas e organizações, perdendo apenas para 2014, com 278 candidatos.

A cerimônia de entrega do Prêmio Nobel da Paz é realizada anualmente em Oslo, na Noruega, enquanto as demais premiações ocorrem na capital da Suécia, Estocolmo. Todos os prêmios serão entregues em 10 de dezembro.

Já foram anunciados anunciados os ganhadores nas categorias Medicina, Física,Química e Literatura. O ganhador da categoria Economia será anunciado na próxima segunda-feira (12). (Com agências internacionais)


Governo continua errando...

A Família EDUCAFRO esperava mais do Governo Federal.
Somos 53,7% da população brasileira.
Merecemos, pelos menos 3 Ministros/as Negros!
Dilma e o PT estão errando...
Vamos continuar lutando por esta meta.
O PMDB é omisso e nunca se esforçou para entender as demandas do povo negro.
Não investe em formação de negros nos seus quadros.
É sempre a mesma "panela", herdeiros dos senhores de engenho.
Vamos enfrentar abertamente os erros de cada partido com referencia
aos direitos do nosso povo negro!

ONGs pelos direitos das mulheres querem maior orçamento para novo ministério

Criado em 02/10/15 17h48 e atualizado em 02/10/15 18h02
Por Andreia Verdélio Edição:Fábio Massalli Fonte:Agência Brasil

A presidenta Dilma Rousseff anunciou hoje (2) a criação do Ministério das Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos dentro da reforma administrativa feita pelo governo. Após a junção das secretarias de Direitos Humanos, de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir) e de Políticas para Mulheres em uma única pasta, os movimentos sociais que atuam em favor dos direitos humanos e igualdade racial e de gênero pedem um orçamento maior para a sustentação e implementação de políticas públicas.

Segundo Jacira Melo, diretora executiva do Instituto Patrícia Galvão, organização voltada à comunicação e direitos das mulheres, as três secretarias têm um orçamento de cerca de R$ 250 milhões. “Isso é muito pouco em um país constituído de 50% de mulheres e 52% de negros. Não podemos conviver com esse orçamento, o ajuste não pode ser somente corte”, disse.

A coordenadora da ONG Crioula, Jurema Werneck, criticou a junção. “Isso demonstra que o governo federal ainda não entendeu seu dever de enfrentar as desigualdades e nem sabe como fazer.  Juntar tudo pode não atender a nenhuma das perspectivas e desmantelar o que já estava sendo montado. Foi um erro, uma traição do pacto que eles fizeram com o campo democrático popular na construção de mecanismos capazes de reduzir desigualdades”, disse.

A atual ministra da Seppir, Nilma Lino Gomes, ficará à frente da nova pasta. Para Jacira, do Instituto Patrícia Galvão, apesar de a junção não ser positiva, a escolha de uma mulher e uma mulher negra para o comando do ministério é simbólica e, politicamente, de grande importância. Manter os nomes das antigas secretarias no ministério também foi uma conquista para a diretora.

“As políticas para as mulheres, para igualdade racial e para os direitos humanos não foram invenções de nenhum governo, são frutos de lutas históricas dos movimentos sociais brasileiros. Não poderíamos diluir como cidadania [nome cotado para o novo ministério], não poderíamos perder essa denominação histórica, que, a nosso ver, significa um alargamento da democracia”, disse Jacira.

O ministério terá uma Secretaria Nacional de Políticas para Mulheres, comandada por Eleonora Menicucci; uma Secretaria Nacional de Igualdade Racial, dirigida por Ronaldo Barros; e uma Secretaria Nacional de Direitos Humanos, liderada por Rogério Sottili.

Editor Fábio Massalli

 


Dia da Mulher Negra Latino-americana e Caribenha

CLAUDIO NOGUEIRA LANÇA LIVRO

DEZ TOQUES SOBRE JORNALISMO

 

autor: Claudio Nogueira

editora: Senac

sinopse: Dez toques sobre jornalismo oferece orientações sobre o dia a dia da profissão nos diferentes meios de comunicação e dicas para quem pretende se graduar na área, explica as características de cada um dos veículos e lança questões sobre o futuro da profissão. Afinal, desde o advento da internet, o jornalismo se viu obrigado a se reinventar... Para ler mais

Livro que você precisa ler:
LIVRO DEZ TOQUES SOBRE JORNALISMO
O jornalista Claudio Nogueira trabalha desde 1987 no jornal “O Globo” e desde 1993 com reportagem esportiva. Na editoria de Esportes, participou de várias coberturas, entre as quais: Olimpíadas de Atenas (2004), de Pequim (2008) e de Londres (2012); e a Copa do Mundo do Brasil, em 2014.
Além de sua experiência e eficiência como repórter, Claudio Nogueira também é pesquisador. Já publicou vários livros, entre eles: “Futebol Brasil Memória” (2006), também pela Editora Senac Rio de Janeiro.