divulgacao-silvio-almeida-reproducao

Silvio Almeida detona artigo da Folha sobre ‘racismo reverso’: “Gangsterismo intelectual”

Silvio Almeida detona artigo da Folha sobre ‘racismo reverso’: “Gangsterismo intelectual”

A EDUCAFRO e a Frente Nacional Antirracista sugere a sua urgente leitura deste artigo:

divulgacao-silvio-almeida-reproducao

O filósofo e PhD em Direito Silvio Almeida deu uma resposta ao artigo de ‘racismo inverso’ do antropólogo Antonio Risério na Folha de S.Paulo deste domingo (16).

O que Silvio Almeida disse?

Ele escreveu no Twitter:

Espero que sejam compartilhados e comentados os textos de Thiago Amparo, Celso Rocha de Barros e Ronilso Pacheco – apenas para ficar nestes exemplos -, com o mesmo entusiasmo com que isso é feito com artigos de arruaceiros, nulidades e oportunistas que têm assento na grande imprensa.

Esses especialistas em gerar o caos são incapazes de exercer o pensamento crítico, pois para isso precisariam estudar os temas sobre os quais falam. Mas, isso está fora de cogitação porque o único objetivo é causar indignação nos leitores.

E as empresas jornalísticas que abrigam esta baderna mental tentam parecer aos olhos do público como ‘ágoras’, espaços ‘democráticos’, que abrigam a ‘pluralidade’. Mas, na melhor das hipóteses se assemelham a arenas, e na pior, becos de lutas clandestina e sem regras.

Há centenas de articulistas sérios e talentosos, mas quem recebe atenção e tem texto compartilhado é o baderneiro, o mal-educado, o ignorante. E o mais interessante é que quase sempre o artigo do fanfarrão ataca alguma minoria.

Não fazem um debate político sério; não se posicionam sobre questões econômicas com profundidade; não conseguem falar de história, de direito ou de filosofia. Não entram em nenhum tema que divirja de seus patrões. Só tem coragem de falar contra minorias. São covardes.

Deveriam ser ignorados, mas a dinâmica de confusão própria das redes sociais fará com que esses vampiros continuem vivos porque já se alimentaram da frustração – e do compartilhamento – de quem leu o artigo.

E assim, esta postura de capanga faz com que algumas figuras tenham sempre um emprego/espaço garantido, ao passo que pessoas sérias têm seus textos pouquíssimo divulgados e se tornam, portanto, dispensáveis.

Particularmente, não vou gastar meu tempo e nem minha coluna para lidar com esse tipo de gangsterismo intelectual. Há polêmicas sérias sobre racismo, há uma situação geopolítica que demanda nossa atenção; há um disputa sobre a identidade nacional que vai se intensificar com o bicentenário da Independência, os 100 anos da semana de arte moderna; pandemia, copa do mundo e eleições cruciais para o destino do país. Muitos livros básicos dementem tudo o que estes articulistas têm escrito, de tal sorte que com eles não se deve gastar energia que possamos compartilhar, divulgar e comentar textos de gente realmente disposta a pensar. Para o resto é ‘Oi Rodrigo’. (No caso específico ‘Oi Antonio’).

Adendo: vejo aqui também os ‘progressistas’ que gastam mais tempo cobrando colunistas negros quando um branco escreve um absurdo do que comentando e compartilhando os artigos destes mesmos colunistas negros. Estamos de olho…”

Fonte:  Silvio Almeida detona artigo da Folha sobre ‘racismo reverso’: “Gangsterismo intelectual” (diariodocentrodomundo.com.br)


Diversidade nas empresas: por que a inclusão no mundo corporativo ainda é lenta.

Diversidade nas empresas: por que a inclusão no mundo corporativo ainda é lenta.

 

A EDUCAFRO está debatendo esse tema e indica a ouvir esse Podcast da CNN.

 

A falta de diversidade nas empresas brasileiras não é um fato novo, mas é ainda mais preocupante no mercado financeiro e no mundo corporativo, apesar das cobranças cada vez mais frequentes por políticas de inclusão.

Nos Estados Unidos, a Nasdaq, que opera um dos principais índices de ações de Nova York, passou a obrigar que empresas listadas na bolsa adotem e divulguem medidas para ampliar a presença de mulheres, pessoas negras e LGBTQIA+ em seus conselhos de administração.

Aqui, no Brasil, a B3, que administra a bolsa no país, tem sido cobrada a impor políticas semelhantes às empresas brasileiras. Neste episódio do Entre Vozes, Luciana Barreto apresenta um balanço dos desafios e dos sinais de mudança na busca por uma maior inclusão no setor corporativo.

Com a participação do Frei David, fundador da ONG Educafro, do gestor de investimentos Fabio Alperowitch e da diretora de pessoas, marketing, comunicação e sustentabilidade da B3, Ana Buchaim, o episódio aborda as medidas que podem contribuir para um cenário menos desigual nas empresas do Brasil.

Episódio publicado no dia 11 de janeiro de 2022. Entre Vozes é um podcast semanal apresentado por Luciana Barreto.

Fonte: CNN Brasil no YouTube: https://www.cnnbr.tv/2ybMGDH


Inscrições abertas para o pré-vestibular EDUCAFRO

Inscrições abertas para o pré-vestibular EDUCAFRO

 

Vagas limitadas na grande São Paulo (500 vagas)
Vagas limitadas para todo o Brasil (1500 vagas)

Inscrições até fevereiro

Clique aqui para se inscrever ou cole esse endereço no seu navegador: https://www.educafro.org.br/associados/register.php

Após as sua inscrição, participe de nossa Reunião de Acolhida que acontece todas as quintas feiras as 20:00 ou aos sabados as 09:00 ao vivo através do Youtube da EDUCAFRO: www.youtube.com/educafro para ter todas as informações.

 

Para mais oportunidades EDUCAFRO acesse: AllMyLinks.com/educafro

 


Primeira Reunião geral da Educafro Rio, quarta-feira 12/01/2022 às 14h45min.

Primeira Reunião geral da Educafro Rio, quarta-feira 12/01/2022 às 14h45min.

 

🔊 Estamos de volta

Primeira Reunião geral da Educafro Rio, quarta-feira 12/01/2022 às 14h45min.
Acesso via Microsoft Teams pelo link: https://bit.ly/3nd8jKk

Local: Igreja de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito dos Homens Pretos
Rua Uruguaiana 77 - Centro
(Próximo ao metrô Uruguaiana)

🎓 Orientação para bolsas de ensino:

📚 Fundamental
📚 Médio

🎓 Inscrições para concorrer a bolsa de estudos 100% para Metodista

🎓 Inscrições para concorrer a bolsa de estudos 100% para USF

🎓 Inscrições para concorrer a bolsa de estudos 100% para Impacta

🎓 Inscrições para concorrer a bolsa de estudos 100% para Insper

🎓 Inscrições para concorrer a bolsa de estudos 100% para FACHA

🎓 Inscrições para concorrer a bolsa de estudos 100% para Mackenzie

🎓 Inscrições para concorrer a bolsa de estudos para Estácio

🎓 Preparatório para Mestrado/Doutorado

📙 Inscrição para o pré vestibular comunitário 2022

👩🏽‍⚕👨🏿‍⚕ Informações sobre bolsas especiais para Medicina

🖥 Seleção para EducafroTech

👫🏿 Escola de Líderes EDUCAFRO Brasil 2022

🙋🏿‍♂ Bolsas Internacionais

🙎🏽‍♀ Cursos de Idiomas: Inglês, Francês, Espanhol, Italiano, Alemão e Português para Concursos.

🧑🏾 Encaminhamento para Jovem Aprendiz

⏲ Cadastro de currículo para vagas de emprego.

🎭 Distribuição de ingressos de peças teatrais através REDE

🙋🏾‍♂🙋🏽‍♀ Seja voluntária (o)

Vagas para atuar na coordenação ou lecionando em um dos nossos polos

Atenção

Devido os protocolos de vigilância sanitária a reunião será híbrida, o acesso presencial estará restrito a 10 pessoas por ordem de chegada, os demais deverão acompanhar através das plataformas Microsoft Teams e YouTube.
Acesso via Microsoft Teams pelo link: https://bit.ly/3nd8jKk

🚨 Uso OBRIGATÓRIO de máscara
💉 Comprovante de vacinação COVID-19

Divulgue e Compartilhe as nossas oportunidades

https://allmylinks.com/educafro


Preparatório Educafro-Cartórios SP (100% online)

Preparatório Educafro-Cartórios SP (100% online)

A EDUCAFRO ESTÁ MOTIVANDO SEUS ASSOCIAD@S DE DIREITO DE TODO BRASIL A JÁ PRESTAREM ESSE CONCURSO

EM VISTA DO FATO DE QUE MUITAS PESSOAS PRECISAM FAZER, VÁRIAS VEZES, ESSE CONCURSO, ATÉ PASSAR.

QUEREMOS ENTRAR NA JUSTIÇA PARA GARANTIR O DIREITO DOS ESTUDANTES E OUTROS POBRES DE OBTEREM A  **ISENÇÃO TOTAL** DO VALOR DA INSCRIÇÃO.

VAMOS LUTAR NA JUSTIÇA PARA REABRIR O PRAZO! DERAM UM PERÍODO MUITO CURTO, QUEBRANDO COM  A ISONOMIA.

A meta da EDUCAFRO Brasil é colocar muit@s negr@s de todo Brasil prestando esse concurso!

Mais de 1/3 de pessoas negras do Brasil que fizeram direito, estão em São Paulo. Ou seja: gasto zero com passagem e hospedagem!

E mais:  iremos motivar um mutirão para os afros de São Paulo acolherem, em suas casas, os Afros pobres de outras cidades do Brasil.

Para fazer este concurso, você pode ser da área do direito (formado ou cursando) ou de outras áreas, leia o edital no nosso forms e entenda as regras do concurso

Tem interesse?

Se inscreva no forms abaixo:

https://forms.gle/eLXgYBJUBra1E98n6

 

Veja abaixo o depoimento dos nossos bolsistas do Projeto EDUCAFRO Cartório, aprovados na primeira fase do último concurso e faça como eles. Se inscreve ne nova turma aberta.

 

 

 

Mais oportunidades?
www.educafro.org.br


EDUCAFRO Tech 2022 + Várias Bolsas de R$100,00

EDUCAFRO Tech 2022 + Várias Bolsas de R$100,00

I - COMO RECEBO A BOLSA?

Para cada um curso realizado no site da EDUCAFRO Tech, você cursando outros 3 cursos (curtos), com certificados de algumas horas, obtidos em instituições que trabalham com a formação básica para o mercado da TI, mais um certificado de conclusão de um ciclo de cidadania digital (em média 5 encontros), a pessoa recebe uma bolsa de R$100,00.

Você pode receber quantas bolsas quiser. Se fizer 10 blocos de estudos, receberá 10 bolsas de R$100,00 - atingindo a R$ 1.000,00.

Se fizer 15 blocos, receberá 15 bolsas de R$100,00 – obtendo um valor mensal maior do que o salário da maioria dos brasileiros - R$ 1.500,00!

O objetivo destas bolsas é fazer com que a pessoa tenha um sustento para sua vida enquanto prioriza o estudo da TI. Para obter sucesso rápido, a pessoa precisa dedicar 8 horas por dia, no estudo da TI. Daí a importância da bolsa ser escalonada em função do tempo de dedicação e do avanço na obtenção dos certificados. Em cursos anteriores, pessoas fizeram acordo no trabalho e saíram só para ganhar seu pão de cada dia, via bolsa de TI. O valor era maior do que ganhava na carteira, com todos os descontos! Viu? Vale a pena você dar esse passo!

II - O QUE É A EDUCAFRO TECH?

É um braço da EDUCAFRO Brasil que nasceu com a proposta de despertar a população afro-brasileira e ampliar o seu ingresso no mundo da TI. O foco são pessoas desempregadas e desesperançadas, em busca por dias melhores! Temos a missão de despertar a esperança nessas pessoas! Criamos o estimulo financeiro acima, que motivam você a perseverar! Esse início de APRENDIZAGEM é determinante para a sua perseverança! Muitas pessoas vêm para a EDUCAFRO Tech para iniciar um processo de mudança de carreira e, consequentemente, de suas vidas!

III - O CURSO É GRÁTIS?
NÃO. É PAGO.
CUSTA R$1.500,00 O CURSO COMPLETO - 3 meses.
VOCÊ PODE SOLICITAR BOLSA.
TEMOS DE 100%, DE 90%, DE 80%... OU OUTROS PERCENTUAIS. É uma forma de ajudar a fortalecer nosso trabalho.

VOCÊ PODE TAMBÉM OPTAR POR PAGAMENTO INTEGRAL, PARA AJUDAR A ENTIDADE SE MANTER.
VAMOS ACREDITAR NO PERCENTUAL DE QUANTO VOCÊ PODE PAGAR. ESTAMOS CRIANDO UMA RELAÇÃO DE CONFIANÇA.

CASO VENHAMOS A DESCOBRIR QUE VOCÊ SOLICITOU UMA BOLSA DE 100%, MAS PODE PAGAR ALGUMA COISA, IREMOS LHE CHAMAR PARA UMA CONVERSA, DE IRMÃ@ PARA IRMÃ@!

Obs: As bolsas de incentivo de R$100,00 serão destinadas somente aos que passam aperto financeiro e necessitam desta ajuda.

IV - PASSO A PASSO PARA AS PESSOAS AFRO-BRASILEIRAS ENTRAREM NO MUNDO DA TI:

1 – INSCRIÇÃO NA EDUCAFRO TECH:
Link: https://educafrotech.educafro.org.br/

2 – DEFINIÇÃO DA TRILHA INICIAL.
A principal trilha inicial são os ENCONTROS DE CIDADANIA AFRO DIGITAL, TODAS AS TERÇAS, ÀS 19:45 HORAS. Aqui será o único momento da semana em que nós iremos formar e aprofundar o sentimento de pertencimento à família EDUCAFRO Tech. Os encontros serão no endereço https://bit.ly/EducafroTech

Em seguida você vai ter acesso ao conteúdo profissional. Aqui a EDUCAFRO tech oferece o “basicão” da TI para a pessoa começar a mergulhar no mundo da Tecnologia da Informação.

Escolhendo livremente cursos extras, a pessoa vai descobrindo suas habilidades e investindo numa certa linha de formação, em função do que ela se identifica e do que o mercado de trabalho mais procura.

Quais cursos extras devo fazer? Isso será fruto de seu entrosamento com os colegas de estudo, no grupo de WhatsApp. Um colega vai dando dicas para o outro! Certo?

A trilha inicial será com os seguintes cursos:

1. Cidadania Afro Digital, Soft Skill e questões pluriétnicas - 5 encontros
2. Letramento Digital 4h
3. Lógica de Programação Essencial 4h
4. Introdução ao Scratch: 6h
5. HTML5 - Introdução ao front-end: 3h
6. HTML – Avançado 6h
7. Introdução a criação de site com HTML5 e CSS3 6h

3 – ENCONTROS DAS TERÇAS, ÀS 19:45 HORAS - AFRO DIGITAL
Além da cidadania afro, teremos SOFT SKILL E QUESTÕES PLURIÉTNICAS.
Aqui será o melhor da EDUCAFRO Tech! Semanalmente iremos convidar CEO de empresas e outros especialistas que virão bater papo e sentir quem são vocês, em vista da futura contratação! Veja os conteúdos desta etapa:

a) - CIDADANIA AFRO DIGITAL
São realizados ao vivo, online, todas as terças, às 19:45 horas pelo link https://bit.ly/EducafroTech Estuda-se os esquemas racistas que a sociedade constroem, no dia a dia da criação da TI, que leva a exclusão de grupos afro-brasileiros. Isso acontece a partir da definição de como se usa a tecnologia digital. Exemplo: Saboneteira digital que, ao aproximar as mãos para liberar sabão líquido, não funcionam se forem mãos pretas.
Você já teve essa experiência?
Nesse bloco teremos várias pessoas convidadas, afro-brasileiras ou não, que venceram no mundo da TI, dando palestras para vocês!

Veja esse links para seu aprofundamento:
Como os algoritmos espalham racismo e desigualdade de gênero
https://www.youtube.com/watch?v=3AoJms5eZ9E

b) - SOFT SKILL
Aprofundaremos habilidades que cada pessoa deve desenvolver para ser um facilitador do convívio no seu ambiente de trabalho. Veja esse links para seu aprofundamento:
O que são Soft Skills, e como desenvolvê-las.
https://www.alura.com.br/empresas/artigos/soft-skills-o-que-sao-e-como-desenvolver?gclid=CjwKCAiAiKuOBhBQEiwAId_sKwPSuP-cDZoSwazU0y_C8m25OrBaDinB4ak5As026le05J6gAhvh-BoCB-4QAvD_BwE

Aqui teremos profissionais, sempre que possível, ao vivo, fazendo um gostoso bate papo com vocês!

c) - QUESTÕES PLURIÉTNICAS
Neste bloco iremos trabalhar como estão sendo respeitados (ou desrespeitados) os direitos do povo afro-brasileiro. O que as organizações e indivíduos devem fazer para mudar essa realidade?
Veja esse links para seu aprofundamento:
Os sete atos oficiais que decretaram a marginalização do povo negro no Brasil.
http://www.educafro.org.br/site/wp-content/uploads/2021/01/EDUCAFRO-prova-de-cidadania-tema7-marginalizacao-do-povo-negro.pdf

Aqui também teremos profissionais, sempre que possível, ao vivo, fazendo um gostoso bate papo com vocês sobre o afro-brasileiro na sociedade!

4 – APROFUNDAMENTO NOS CONTEÚDOS DO MUNDO DA TI
Você deve fazer os cursos indicados por nós e, obtendo outros 3 certificados em qualquer plataforma parceira, somado ao comprovante de que participou de pelo menos 5 encontros de cidadania, você é premiado, em cada bloco, com R$100,00 - conforme a sua carência.

5- SEJA UM MULTIPLICADOR
A cada semana, você precisa trazer de 3 a 5 pessoas afro-brasileiras para entrar na EDUCAFRO Tech e vencer como você! Passe para as pessoas trazidas por você, o seu código de indicação. É um projeto multiplicador, a partir do seu engajamento! Siga os passos desse link para obter o código de indicação EDUCAFRO: https://www.youtube.com/watch?v=8jh__QxuByU

Investimos em você para você atrair outras pessoas afro-brasileiras para o sucesso no mundo da TI.

6 – ENCAMINHAMENTO PARA AS EMPRESAS PARCEIRAS.
Todos os alunos que concluem o ciclo mínimo exigido pela EDUCAFRO Tech (três meses), são apresentados às empresas parceiras. Os aprovados nas empresas passarão a receber um bom salário (de R$2.500, a R$6.000,) e a continuação dos estudos da TI dentro do seu horário de trabalho, dentro da empresa e pago pelas empresas.

7 – PARA COMEÇAR SEU CURSO CLICK AQUI: https://educafrotech.educafro.org.br/

8 - Os cursos já estão gravados e você pode fazer na hora em que lhe for mais confortável. Atenção: os encontros de cidadania afro digital serão somente ao vivo! Reserve todas as terças, às 19:45 horas.

Conforme sua garra e rapidez, irá receber suas bolsas de R$100,00 e os certificados para, oportunamente apresentar nas empresas! Legal, não?

9 - TAMBÉM QUEREMOS TER FOCO EM PESSOAS QUE COMEÇARAM E ABANDONARAM UMA FACULDADE DE TI, EM QUALQUER SEMESTRE E DE QUALQUER LUGAR DO BRASIL.
Com a pandemia, é grande a quantidade de pessoas afro-brasileiras que abandonaram seus cursos universitários.

Na nova modalidade da EDUCAFRO tech, todas as pessoas que abandonaram pela metade seus cursos são orientadas a fazerem só três meses na EDUCAFRO Tech e já participarem das seleções nas empresas indicadas pela EDUCAFRO. Futuramente, com dinheiro no bolso, retome e conclua seu curso universitário.

10 - Não hesite em nos contatar para tirar dúvidas: educafrotech@educafro.org.br ou (11) 3106-2790
(11) 99117-0477

Frei David Santos OFM - Diretor Executivo EDUCAFRO Brasil

Preencha o formulário clicando aqui: EDUCAFRO Tech 2022 + Várias Bolsas de R$100,00 (google.com)


Está com dificuldades para pagar o FIES? Esse recado do Frei David é para você! #enforcadospelofies

Está com dificuldades para pagar o FIES?

Esse recado do Frei David é para você!

#enforcadospelofies

Assista à esse vídeo do Frei David e entenda o posicionamento da EDUCAFRO quanto ao FIES.

Está com dificuldades para pagar o FIES? envie um e-mail para: enforcadospelofies@educafro.org.br


A história afirmativa das cotas 20 anos depois

A história afirmativa das cotas 20 anos depois

A construção de políticas públicas antirracistas no Brasil insere-se num contexto de lutas que paulatinamente fazem com que as desigualdades raciais se tornem um desafio para o Estado

FD Frei David Santos - Teólogo; diretor-executivo da ONG Educafro
RF Renato Ferreira - Advogado e mestre em Políticas Públicas
postado em 01/01/2022 00:01 / atualizado em 01/01/2022 14:36

 

 (crédito: Caio Gomez)
(crédito: Caio Gomez)

No ano de 2001, vivíamos o limiar de transformações sociais importantes por conta da entrada em vigor de uma lei que instituiu o sistema de cotas raciais nas universidades estaduais do Rio de Janeiro. Há nessa história muitos significados. Destacamos alguns. Com as cotas, pela primeira vez, estudantes negros ingressariam de forma significativa no ensino superior, mormente em cursos mais elitistas como direito, medicina e engenharia. Além de tornarem mais democrático o acesso às instituições, as cotas começariam a trazer novo desafio para as políticas públicas brasileiras.

A construção de políticas públicas antirracistas no Brasil insere-se num contexto de lutas que paulatinamente fazem com que as desigualdades raciais se tornem um desafio para o Estado. Nesse contexto, nas últimas décadas, leis foram produzidas, políticas de promoção da igualdade foram criadas e o Supremo Tribunal Federal legitimou esse processo garantindo a constitucionalidade das políticas de cotas. Mas, após 20 anos de todas as tensões que agitaram o início desse período de inclusão racial nas universidades do Rio de Janeiro, o que nos cabe dizer?

Ganhamos todos. É num contexto de avanços democráticos antirracistas que devemos assentar os desdobramentos trazidos pelas politicas de cotas. Os opositores, de um modo geral, foram silenciados pelo próprio caráter inclusivo, redistributivo e democrático que essas políticas trouxeram.

Há problemas? Sim. Fraudes ou tentativas, falta de recursos, um monitoramento mais preciso dos impactos das políticas por todo o país, além de uma articulação entre as instituições e as empresas para otimizar a promoção de talentos ávidos por mais oportunidades. Como em toda política contra-hegemônica que — para se consolidar, sujeita-se aos mais variados tipos de desafios institucionais — o sistema de cotas precisa e pode ser sempre aprimorado.

Os dados que chegam demonstram avanços significativos quanto ao aumento de afrobrasileiros nas universidades. As pesquisas apontam que a população negra, de um modo geral, goza de melhores índices educacionais, mas ainda se mantém atrás da população branca. Nesse sentido, a experiência bem-sucedida das cotas revelou a necessidade de construirmos um sistema de ações afirmativas que contemple um feixe de medidas que vão desde estimular estudantes pobres e negros a ingressarem na graduação, até a pós-graduação e inclusão no mercado de trabalho. Mas quem frequentou as universidades antes das ações afirmativas e volta por lá hoje surpreende-se com o alunado que anda pelos câmpus. O corpo discente está cada vez mais em sintonia com a diversidade que encontramos na sociedade brasileira.

Podemos dizer que as políticas de ação afirmativa deram certo e se estabilizaram de modo inexorável. Esse fato convida-nos a refletir sobre muitos dos desdobramentos positivos. As cotas para pessoas negras, em especial, marcam o fim da ilusão da democracia racial na educação, democratizam um dos espaços mais importantes para a reprodução do poder e do saber, estimulam nossa juventude a vencer na vida por meio do acesso ao conhecimento crítico, contribuem para diversificar nossas elites e ajudam a transformar a vida de milhares de pessoas.

Esse processo, ainda em curso, não está mais relacionado somente à graduação. As cotas são medidas poderosas e foram adotadas em mestrados, doutorados, concursos públicos federais, em muitos estaduais e municipais. Em relação ao mercado de trabalho, elas estão desafiando o silêncio corporativo dos que ainda, equivocadamente, pensam que pode haver compatibilidade entre democracia e desigualdade racial.

Com as cotas, a democratização que o antirracismo promove criou instituições mais justas. Uma verdadeira transformação social vem se consolidando, apesar de todo o retrocesso dos últimos anos.

O Brasil precisa cada vez mais reconhecer para libertar. Consignar o consenso de que estudantes negros e pobres, com o instrumento das cotas, estão mudando a universidade para melhor, e desse modo transformando o país. As ações afirmativas são uma realidade, um fato social potente e democrático, que se desenvolve em diversas áreas, fomentando a cidadania e tornando possível o que antes delas era impensável.

Fonte: As cotas raciais 20 anos depois (correiobraziliense.com.br)


Presente da EDUCAFRO para os associad@s SORTEIO DE BOLSAS 19/01/2022

Presente da EDUCAFRO para os associad@s SORTEIO DE BOLSAS 19/01/2022

 

Quem já preencheu para o sorteio de natal e ano novo, não precisa preencher para o próximo sorteio.

 

Universitari@s, ICL e demais associad@s da EDUCAFRO,

Quem não está passando aperto financeiro?

Um parceiro da EDUCAFRO partilha um pouco do seu pão com os pobres, associados da EDUCAFRO.

Preencha o formulário para concorrer a uma bolsa de Ano Novo no valor de R$500,00: https://forms.gle/YgP3odCgQP6D5iLU8

Vai ser sorteada só com quem estiver presente no encontro de cidadania da EDUCAFRO, do dia 19/01 às 19:45 horas pelo Teams nesse link: https://bit.ly/3oClo1f

Olhe as boas notícias no site

www.educafro.org.br

pois, para garantir o prêmio você precisa acertar 3 das 5 perguntas sobre as oportunidades da EDUCAFRO.

Pode completar o conhecimento através desse link:
https://allmylinks.com/educafro

Compreendeu?

Frei David e equipe da EDUCAFRO.


PROTOCOLO PARA A MELHORIA OU IMPLANTAÇÃO DA EDUCAFRO BRASIL

PROTOCOLO PARA A MELHORIA OU IMPLANTAÇÃO
DA EDUCAFRO BRASIL
UNIDADES LOCAIS, MUNICIPAIS, REGIONAIS OU ESTADUAIS

 

I - INTRODUÇÃO
Esse texto está em construção. Essa é a 6 versão e faremos quantas forem necessárias até chegarmos a envolvermos todos os estados nessa reformatação da EDUCAFRO Brasil. O método Paulo Freire, seguido pela EDUCAFRO, dá esse direcionamento: aprender fazendo! Esse método pedagógico tem seu complemento com o método das CEBs: VER, JULGAR, AGIR, AVALIAR, CELEBRAR. Temos um foco: fortalecer as conquistas do povo afro e desse foco não abriremos mão!

II - DESENVOLVIMENTO
1 – A pandemia fez todas as instituições se redefinirem, no seu modo de se organizar e operacionalizar suas atividades. As instituições sociais que não fizeram isso, estão, agora, na UTI ou já morreram. A EDUCAFRO BRASIL, há três anos sentiu um forte clima de mudanças no ar e lançou um movimento chamado de REFUNDAÇÃO DA EDUCAFRO. Agora, com a pandemia, os princípios dessa refundação foram realinhados e estamos também fazendo a EDUCAFRO se organizar prioritariamente online.
Para canções novas, ouvidos novos. Já orientava e orienta um ditado popular africano. Trabalhos online exige ouvidos novos para entender e se adaptar às novas exigências da articulação.

2 – Esse protocolo que entra em vigor em 1º de janeiro de 2022, define que a EDUCAFRO, em cada estado, deve ir se (re)organizando só online, seguindo os estatutos nacionais, zelando pelo bom conceito construído por todos que passaram por ela antes de nós e com seu CNPJ forte, único para todo o Brasil. A autorização para uso é restrita à diretoria, para servir a qualquer parte do Brasil. Vamos ouvir, avaliar e dar vigor às propostas locais, regionais e de cada estado, para ajudar no empoderamento do povo afro-brasileiro, via EDUCAFRO. Vamos nos fortalecer mutuamente! Essa é uma fase muito rica, de construção, com a ousadia de usar as ferramentas do mundo jurídico, sem abrir mãos de especificidades experimentadas ao longo desses 40 anos e que deram excelentes resultados.

3 – Mais de 80% das oportunidades e demandas que chegam para o povo da EDUCAFRO Brasil, são amplas e atendem às necessidades dos afro-brasileiros de todo o território nacional. Motivaremos para que as lideranças de cada estado ou locais façam um eficiente trabalho, divulgando as oportunidades, adaptando as peças de divulgações aos estilos de cada estado e assim as oportunidades serão procuradas por afro-brasileiros de todo Brasil, saindo do eixo Rio – São Paulo. Queremos mudar essa realidade. Essa mudança só acontecerá se as lideranças de cada estado derem prioridade para se organizarem com intensidade e foco, colocando o empoderamento do povo afro na frente de seus problemas e desafios pessoais, por maiores que sejam os problemas de cada um.

4 – Inicialmente iremos escolher 7 pessoas para formar a comissão estadual ou local, provisória. Em um segundo momento iremos manter na comissão provisória as 3 pessoas mais eficientes, com a habilidades de captar e atrair benefícios para os afros e despertar mais pessoas, negras ou não, de seu estado, para investirem no empoderamento da comunidade afro-brasileira, especificamente em seu estado. Ao mesmo tempo iremos observando e chamando outras para recomporem a comissão de 7 pessoas. Por mais que o critério de representatividade sejam interessantes, a EDUCAFRO Brasil vai priorizar, radicalmente o critério da dedicação à causa.
• Obs.: FRANQUIA SOCIAL: Após o período inicial de reimplantação, deveremos elaborar uma carta orientativa transformando a EDUCAFRO Brasil, numa franquia social nacional. Para isso, será necessária uma formatação intuitiva e jurídica (nossa meta é que essa transformação seja um grande passo que irá fazer gerar empregos e um novo conceito de movimento social no Brasil). Quando? Assim que a maioria dos estados avançarem na reorganização atual e no entendimento do que é FRANQUIA SOCIAL. Iremos organizar reuniões online para ajudar a todos estarem na mesma sintonia colaborativa. Uma das riquezas da franquia social é adaptar para a rede nacional as excelentes experiencias locais.

5 – Nesse primeiro momento a EDUCAFRO Brasil vai se pautar pela eficiência no servir aos seus irm@s afro-brasileir@s, sem se preocupar com estrutura física ou de poder. O binômio intuição X instituição, optando mais pelo primeiro, será a grande luz para fazer os avanços acontecerem. Um dos princípios básicos dessa fase é o de colocar em prática a intuição que consiste na força de cada um, em colocar o máximo de sua energia na causa do povo afro. A instituição, através de sua mantenedora está aí para não deixar que essa corrente do bem venha a perder o foco. A intuição em cada estado mal assimilada, pode gerar a perda de foco e dar asas às vaidades pessoais. Fazer o máximo pelo povo afro do seu estado, esquecendo-se de si é uma das melhores formas de provar que está em sintonia com a energia criadora do mundo que quer ver o nosso povo afro levantar a cabeça e reconquistar seus direitos.
Como está no título, essa é uma carta de princípios. Outros documentos/regramentos serão construídos para dar eficiência ao fazer em cada estado. Mas o fundamental é essa fase, onde queremos detectar boas e eficientes lideranças em cada estado.

6 – A EDUCAFRO Brasil, sede nacional, sempre trabalhará para todos os afros de todos os estados do Brasil, associados legalmente à EDUCAFRO. As coordenações provisórias de cada estado podem, em sintonia e autorização da nacional, avançar com parcerias locais que beneficiam os associados locais. Podem, também, trazer parcerias que beneficiam o conjunto do Brasil, seguindo as orientações e os procedimentos da sede Nacional.

7 – Cabe às parcerias Estaduais ou locais:
a. Replicar, com um estilo e linguagem local, as demandas e oportunidades que chegam à sede nacional, em vista do fortalecimento da rede EDUCAFRO, nos locias/estados.
b. Trabalhar para expandir a quantidade de associados em cada estado.
c. Buscar, convidar e motivar os associados que residem em seu estado e que já estão recebendo benefícios da sede nacional a se engajarem com garra, respeitando todas as normas da LGPD.
d. Ter consciência de que existe um único banco de cadastro da EDUCAFRO em nível nacional e a coordenação de cada local/estado terá acesso somente aos associados de seu local/estado, estando vedado acesso aos dados de associados de outros estados.
e. Conquistar novos voluntários para o desenvolvimento dos trabalhos em cada local/estado.
f. Em cada local/estado, abrir o máximo de núcleos/grupos EDUCAFRO, (pré-vestibular; núcleos jurídicos, EDUCAFRO tech; núcleo político partidário; núcleo de conquistas por políticas públicas, grupos de psicólogos negros, etc.). Isso deve acontecer em cidades, municípios e bairros, em função do despertar dos afros para o empoderamento do nosso povo.
g. Adaptar cada demanda que a Educafro Nacional apresentar à realidade do seu Estado criando folders dentro dos parâmetros da sede nacional (produzidos pela Escola de líderes), mantendo o princípio da instituição.
I- Os núcleos também devem ter iniciativa de produzir as próprias artes denunciando tanto questões de preconceito, violência e discriminação racial.

h. Atrair advoga@s locais para serem bons voluntários, negr@s e branc@s, em vista de ajudar a EDUCAFRO Brasil a radicalizar positivamente na judicialização de muitos casos de racismo, praticados contra o povo afro-brasileiro em cada local/estado, conquistando indenizações coletivas, em função da gravidade do racismo.
i. Atrair psicólog@s negr@s e branc@s em vista de se implementar um excelente trabalho de atendimento ao povo afro, vítima dos traumas gerados pelo racismo estrutural, institucional e individual.
j. Incentivar as pessoas de seus estados a serem um observatório vivo, levantando pautas como preconceito, racismo e violência, bem como orientá-los a fazer um encaminhamento imediato para o e-mail jurídico@educafro.org.br referente a todas as denúncias. Fundamental dar ênfase para pautas positivas, como empregabilidade.
k. Averiguar as fraudes nas Universidades e Concursos Públicos em seus Municípios. Em caso do não cumprimento, por parte das instituições, conforme as respectivas leis 12.990 de 2014 e 12.711 de 2012, adaptar a carta padrão e encaminhá-la ao Ministério Público estadual, denunciando e solicitando medidas a favor da causa.
l. Fazer com que, o máximo possível de afros de seu estado, sejam beneficiados por conquistas das parcerias nacionais. Evitar-se-á definir quantidade de oportunidades por estado, numa primeira etapa. A quantidade de beneficiários de cada estado será um resultado da garra por inclusão, fruto do trabalho da coordenação do seu estado.
m. Cada núcleo deve incentivar e acompanhar seus membros para que o povo negro ocupe principalmente as vagas ociosas nas universidades públicas e Institutos Federais de qualquer estado do Brasil, com bolsa moradia e alimentação, nem que a entidade tenha que abrir mandados de seguranças. Só depois gastar energias com vagas em faculdades particulares. O problema é que elas começam com bolsas boas e, a cada semestres vão mudando para pior. Isso não acontece com as universidades públicas.
I- Incentivar a ocupação das vagas por meio das cotas sócio raciais;
II- A entidade possui mecanismos jurídicos de segurança que podem auxiliar na busca de garantias de moradia, alimentação ou auxílio permanência para todos os estudantes que ingressarem em universidades públicas.
n. Auxiliar a Educafro no mapeamento e na escolha de institutos federais ou universidades públicas, para traçar um plano estratégico de imersão do povo negro e baixa renda através das vagas ociosas.
o. Apresentar à sede nacional contatos dos responsáveis por possíveis universidades e faculdades, de qualidade, de seu estado, em vista de se conseguir bolsas de estudo e outros benefícios para os associados. Qualquer pessoa associada de outros estados, assim querendo e tendo estrutura pessoal de apoio, pode concorrer às bolsas e oportunidades de qualquer estado.
I- A tendência dos estados é manter a lógica anterior da Educafro de investir em conquistar bolsas em universidades particulares, pois entendemos que tais instituições respeitam os horários de atividade acadêmica escolhido pelo estudante no momento do processo seletivo e de matrícula. De modo a ser garantido a possibilidade de trabalho, sem que haja empecilhos acadêmicos. Assim, é importante que os estados continuem a divulgar as bolsas disponíveis em universidades particulares, sem deixar de priorizar as públicas.
p. Criar núcleos presenciais da EDUCAFRO Tech em vista de incluir o povo afro no mundo da tecnologia divulgando frequentemente e possibilitando o crescimento tecnológico, a fim de garantir a empregabilidade do maior número de irmãos.
q. Potencializar o aumento do índice de empregabilidade afro, no seu estado, através de reuniões com empresas, potenciais contratantes com foco na diversidade e fazer a divulgação de vagas de empregos.
I- Incentivar a disputa a ocupação de vagas de empregos online, home office, como nova forma de empoderamento e garantindo a sua presença na formação dos filhos.
r. Promover ações para a inclusão do negro nas grandes empresas de seu estado. Assim, cabe aos responsáveis buscar as empresas mais importantes de seus estados e solicitar que recebam em reunião, o diretor executivo da Educafro brasil para pensarmos possíveis parcerias em busca de promover a inclusão e diversidade negra nesses espaços de trabalho.
s. Organizar debates políticos com candidatos negros de todos os partidos, presentes no seu município e nos estados de modo a promover discussões que considerem as pautas da população afro, evitando vínculo com partidos políticos.
t. Com base na Convenção Interamericana Contra o Racismo, a Discriminação racial e Formas correlatas de Intolerância, a Educafro iniciará uma campanha convidando as prefeituras de seu município a colocarem em prática e alinharem suas metas com as da Convenção, sendo a adoção de ações afirmativas através da políticas de cotas nosso principal foco neste primeiro momento. Cabe ao núcleo de cada local/estado acompanhar o retorno desta pressão da EDUCAFRO Brasil em seu município. Queremos um forte acompanhamento e pressão por parte de cada articulação da EDUCAFRO local.

8 – Cabe à sede Nacional:
a. Criar, no site nacional, o subdomínio para o desenvolvimento do site de cada estado.
b. Dar assessoria às coordenações provisórias estaduais em vista do seu fortalecimento.
c. Receber das comissões provisórias os contatos de possíveis parcerias com universidades e faculdades e enviar as cartas padrões com a assinatura do Diretor Nacional.
d. Trabalhar para criar uma metodologia de contribuição financeira dos associados, de modo que uma porcentagem fique em cada estado.
e. Criar um sistema para ajudar cada estado a gerir suas finanças com transparência fazendo excelente uso do dinheiro provindo das contribuições dos associados de cada estado.
f. Criar um e-mail institucional para cada estado. Exemplo: bahia@educafro.org.br Os membros da coordenação estadual provisória terão acesso à mesma senha.
g. Observar o perfil de quais candidatos irão apoiar as nossas causas na Câmara Municipal, estadual, federal ou Senado.
h. Averiguar quais candidatos negros de sua região estão disponíveis para debates a favor de nossa pautas e envolve-los nas lutas.
i. Solicitar aos coordenadores de cada estado suas demandas, ou seja, o que aquele município precisam para melhorar seus desempenhos.
j. Garantir que as demandas da Educafro Nacional sejam replicadas nos Estados.
9 – Bolsas atualmente disponíveis para todo o Brasil:
a - Cursinho Popular,
b - ICL,
c - Insper,
d - Magistratura,
e – Educafro Tech
f – MPF
g – ANAD
h – Preparatório para Concursos FMB
i – Preparatório para as provas da OAB
j – Metodista

9 – Casos de racismo e violência policial:
a - A EDUCAFRO Brasil possui o seu escritório nacional de advocacia para atender a essas demandas.
b – O escritório fará a triagem e definirá quais demandas a entidade é aconselhada a assumir e quais demandas devem ser encaminhadas para as defensorias estaduais ou defensoria da união.
c – Nossa prioridade absoluta serão as demandas comunitárias. Demandas individuais não são o foco da entidade e sim das defensorias.
10 – Outras propostas das regiões:
A -
B -
C -

III - CONCLUSÃO
Um tempo novo está chegando! Vamos testar o quanto cada membro da Escola de Líderes está entendendo sua missão! Esse texto está sendo lançado hoje, dia 13 de dezembro e será debatido numa reunião, com o Frei e todos os membros da Escola no dia 18/12 às 14 horas. São convidadas para essa reunião pessoas interessadas que estão nos grupos de todos os estados. Os membros da Escola de Líderes da EDUCAFRO têm a missão de estimular a participação do maior número de pessoas de cada estado. Essa primeira reunião será para aprofundar com os estados o futuro que está sendo projetado e de hoje, 12/12 a 18/12, caberá à Escola de Líderes motivar as bases. Esse texto deve ser discutido em todos os grupos em cada estado. Estamos cheios de boas expectativas!
Até lá!